ALMT aguarda posição do governo sobre Hospital Regional de Rondonópolis

Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

O governo do estado deverá se posicionar em breve sobre a situação do Hospital Regional de Rondonópolis, que atende a população dos 19 municípios que fazem parte do Consórcio Municipal de Saúde da Região Sul. Ontem, os deputados Eduardo Botelho (DEM – presidente da Assembleia Legislativa), Janaína Riva (MDB), Guilherme Maluf (PSDB), Dr. Leonardo (SD) e o eleito Thiago Silva (MDB) receberam uma comitiva de representantes da região para resolver o impasse e impedir a suspensão dos atendimentos de urgência e emergência.

Gerenciado pelo Instituto Gerir, segundo a comitiva, a unidade de saúde não efetua o pagamento a fornecedores e médicos há quatro meses. E por isso defendem a intervenção do Estado no hospital. Contudo, em reunião realizada ainda pela manhã com o secretário de Saúde, Luiz Soares, esse pedido foi descartado por questões jurídicas.

“Temos dialogado com a direção do hospital e com o governo para conseguir solução porque o hospital corre o risco de fechar as portas prejudicando muitos pacientes. Por isso, recorremos a força política para sensibilizar o governo para que haja a intervenção. A situação é bastante dramática!”, afirmou o presidente do Consórcio Municipal de Saúde da Região Sul, prefeito de Poxoréu, Nelson Paim, ao acrescentar que receberam a informação de que os repasses do governo estão atrasados há 45 dias.

À tarde, durante a reunião na Presidência da ALMT, Botelho informou aos representantes do Consórcio, que vai aguardar o posicionamento, já que a Secretaria Estadual de Saúde – SES, através do secretário adjunto de Gestão Hospitalar, Cassiano Falleiros, irá trabalhar junto à direção do hospital para fazer um levantamento sobre a situação.

Botelho defende uma solução definitiva para a área de Saúde. “O próximo governo tem que criar um projeto mais eficaz para a saúde porque estamos vivendo apagando incêndio. A cada hora é uma região com problema, um hospital que está fechando. Então, precisamos encontrar uma solução. Já dei algumas sugestões ao governador eleito Mauro Mendes, que seria de ampliar o fundo da saúde, diminuir a renúncia fiscal de quase R$ 3,8 bilhões para aplicar nesse fundo para resolver a situação”, explicou.

O secretário municipal de Saúde de Juscimeira, Nassin Farah confirmou que a situação é caótica. “Em julho foi o último repasse do hospital aos fornecedores e equipe médica. O hospital não tem nem material para fazer cirurgias”, questionou.

“Continuar com essa mesma empresa gerindo o hospital não é mais viável”, ressaltou o deputado eleito Thiago Silva.

A deputada Janaína, que intermediou a reunião, cobrou uma solução. “Convocamos e pedimos uma reunião com prefeitos e secretários de saúde da região sul, junto com o presidente Botelho, para que ele possa usar da liderança e da força que a Assembleia representa com o Governo do Estado para chegar a uma solução com relação ao hospital regional de Rondonópolis. Sabemos da dificuldade que o hospital tem hoje para honrar as suas obrigações, faltando até insumos. Queremos saber o que está acontecendo. A maioria que está aqui defende a intervenção imediata por parte do governo, mas está claro que não há interesse em fazê-la. Então, é um grito de socorro, de desespero ao presidente Botelho para que se tome uma iniciativa e possa nos ajudar a chegar a uma solução”, esclareceu a deputada.

Comentários Facebook