Bolsonaro quer extinguir lombadas eletrônicas em todo o Brasil


Bolsonaro diz esperar que apuração chegue a quem matou e quem mandou matar Marielle
Divulgação/Planalto

Bolsonaro diz esperar que apuração chegue a quem matou e quem mandou matar Marielle

Na live transmitida em sua conta no Facebook na última quinta-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro prometeu extinguir as lombadas eletrônicas das rodovias brasileiras. De acordo com chefe de estado, este tipo de radar estimula a indústria da multa, ainda que especialistas em trânsito defendam o dispositivo e a redução de acidentes e mortes nas rodovias.

LEIA MAIS: Segurança: 59% dos acidentes são causados por distrações no trânsito

O pronunciamento foi feito ao lado do porta-voz da Presidência, general Otávio Santana do Rêgo Barros, e do ministro do Gabinete de Segurança Institucional general Augusto Heleno. De acordo com Bolsonaro , seu governo não instalará novas lombadas eletrônicas no Brasil, e as que já existem não serão renovadas após o término da validade. De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, existem 1.130 lombadas eletrônicas espalhadas pelas rodovias federais – excluindo as privadas.

LEIA MAIS: Saiba como cuidar dos freios e evitar acidentes no trânsito

Lombadas eletrônicas são um inferno, diz presidente


Lombada eletrônicas geram polêmica. De acordo com o presidente, apenas servem para abastecer a indústria da multa
Divulgação

Lombada eletrônicas geram polêmica. De acordo com o presidente, apenas servem para abastecer a indústria da multa

Bolsonaro ainda disse durante a transmissão que é quase impossível viajar sem receber uma multa. “Já fui do Rio para Santos de carro e é um inferno”, falou o presidente. “Se gasta muito dinheiro com lombada eletrônica, arrecadado do pedágio, que no fundo vai dar mais lucro para quem realmente a está explorando”, finalizou, apontando que o dinheiro não é convertido na manutenção das rodovias.

Dados do Ministério dos Transportes apontam que o desrespeito às leis de trânsito é a maior causa de acidentes, e o excesso de velocidade aparece no topo da lista de infrações. Para o ministro da infraestrutura, Tarcísio Freitas, as lombadas eletrônicas continuarão atuando onde forem realmente necessárias. Ele ainda comenta sobre outros problemas das rodovias, como falta de sinalização e trechos esburacados.


Hakan Samuelson, CEO da Volvo, quer zerar volume de acidentes fatais com carros da marca sueca até 2021
Divulgação

Hakan Samuelson, CEO da Volvo, quer zerar volume de acidentes fatais com carros da marca sueca até 2021

Um dia depois da transmissão de Bolsonaro, a Volvo anunciou que irá limitar a velocidade de seus veículos a 180 km/h para evitar acidentes fatais a partir de 2021. De acordo com a marca, é impossível evitar mortes apenas com tecnologias embarcadas. A afirmação é feita com base em um estudo interno da fabricante, apontando que o excesso de velocidade é um dos obstáculos na meta de zerar mortes e ferimentos graves em seus veículos. O presidente da Volvo, Hakan Samuelsson, ainda disse que qualquer esforço é válido se puderem salvar uma vida.

LEIA MAIS: Veja 5 dicas para evitar acidentes no trânsito

O sistema funcionará em estradas, limitando a velocidade máxima de seus veículos. Com a conectividade cada vez mais aprimorada, a marca também pretende instalar um controle inteligente que reduz a velocidade nas proximidades de escolas e hospitais. Nos resta saber quais serão os próximos passos do governo, uma vez que Bolsonaro não deixou claro se a medida irá influenciar na instalação dos radares convencionais, ou apenas as lombadas eletrônicas .

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook