Caminho de proteção e cuidado às crianças e adolescentes

Na abordagem e integração de políticas públicas de proteção integral para infância e juventude, a Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Assistência Social implanta o projeto social ‘Centro de Convivência – Caderno II’ e inaugura o Centro de Referência Especializado de Assistência Social na garantia de acesso a políticas sociais básicas, como saúde e educação, assistência social, e a política de garantias de direitos. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira (03), no Centro Especializado de Assistência Social (CREAS).

Ao todo, serão atendidos 100 adolescentes no contraturno escolar com intervenções focadas no estímulo à importância da participação cidadã, incentivo na busca da autonomia da apropriação dos direitos, reconhecimento de deveres e percepção de autoafirmação, enquanto sujeitos ativos e operantes na construção da própria cidadania. Na proposta inicial serão ofertados 9 oficinas, de informática; práticas esportivas; música; horta; acompanhamento escolar; dança; artes cênicas; arte e comunicação social; moda e customização. As oficinas de fotografia e robótica estão previstas para iniciarem no próximo semestre.

A prefeita Lucimar Sacre de Campos destacou a importância do projeto social Caderno II. “É, por meio da educação que vamos melhorar a segurança do país. Os jovens são os adultos de amanhã. O projeto é um conjunto de ações integradas e focadas na formação humana do adolescente, resgate de valores e a formação da cidadania. Caderno II tem o objetivo de estimular o jovem para o desempenho do seu papel de protagonista na comunidade onde vive e atua, ajudando na construção de um lugar cada vez melhor para se viver. Hoje é um dia de agradecimento porque o projeto é um sonho que se tornou realidade. Parabéns as secretarias envolvidas que se uniram nesse sonho conosco, e um agradecimento especial aos pais dos alunos, pela confiança de deixar seus filhos sob nossa responsabilidade”, sublinhou.

Conforme a secretária de Assistência Social, Flávia Omar o projeto ‘Caderno II’ integra a Rede de Proteção e Atenção à criança e ao adolescente e oferece uma pista de como é possível caminhar no sentido da construção de políticas públicas, conforme princípios da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) e Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).  “Esse novo desafio construirá uma política para atenção e proteção a crianças e jovens em novas bases, a partir do conceito de atuação em Rede, com o compromisso de interlocução e fortalecimento de todos os atores envolvidos. ‘Caderno II’ é uma estratégia exclusiva e inédita governamental  que aponta caminhos importantes para a sustentabilidade das políticas de Proteção Integral da Infância e da Juventude do de Várzea Grande”.

A secretária disse ainda que o município diagnosticou a necessidade de investimento em políticas públicas de atendimento a crianças e adolescentes oriundas de famílias em situação de vulnerabilidade social, e riscos que afetam diretamente o núcleo familiar, com isso,  idealizou e implantou o  Centro de Convivência – Caderno II –  como forma de intervenção social planejada criando situações desafiadoras estimulando e orientando este segmento na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais, coletivas e familiares.

“Esse trabalho irá complementar nossos trabalhos sociais já desenvolvidos com famílias, jovens, idosos, crianças e gestantes, prevenindo a ocorrência de situações de risco social, pautado no desenvolvimento de capacidades e potencialidades do jovem, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias, estimulando o desenvolvimento de autonomia e o fortalecimento de vínculo familiar e comunitário”, enfatizou.

A juíza de Direito Tribunal de Justiça de Mato Grosso,  Amini Haddad Campos destacou que a gestão é comprometida com as políticas públicas socioassistencias. “O Poder Judiciário de Mato Grosso também desenvolve projetos de expressiva relevância social para jovens que são vulneráveis a riscos sociais. Este projeto do Executivo Municipal é inovador e inédito, onde o jovem melhorará a autoestima, recuperação da confiança da família, fortalecimento dos vínculos, contato com bons exemplos e referências humanas positivas que serão decisivas para mudar radicalmente suas vidas, a ponto de livrá-los da sedução de diversos riscos predominantes na sociedade. Um jovem bem instruído, com certeza, terá um futuro promissor, de sucesso, realizações e grandes conquistas”, pontuou.

A coordenadora do Centro de Convivência – Caderno II, Cláudia Barros disse que o público alvo do projeto são crianças e adolescentes na faixa etária de 13 a 17 anos e 11 meses. Os critérios para participar do projeto são crianças e adolescentes cujas famílias são beneficiários de programas de transferência de renda, que por algum motivo se encontram e situação de risco social e famílias com precário acesso a renda e a serviços públicos.

“Inicialmente o Centro beneficiará diretamente 100 crianças e adolescentes, distribuídos em períodos matutino e vespertino no contraturno escolar e indiretamente aproximadamente 300 famílias. Os integrantes do projeto terão a garantia de refeições diárias e participarão de oficinas temáticas profissionalizantes de cultura, esportes, lazer, artes e tecnologias digitais. Cada oficina terá 25 integrantes, totalizando 4 grupos por período, de segunda a sexta-feira, com a finalidade de construir novos conhecimentos e formação de atitudes, comportamentos, princípios, moral, ética e valores que reflitam no desenvolvimento integral do adolescente”, explicou a coordenadora.

A mãe da integrante do projeto Allan Christian Benedito Arruda, dona Agda Aparecida da Costa emitiu uma declaração em agradecimento aos envolvidos: “Quero parabenizar a Secretaria de Assistência Social que não mediu esforços para implantar esse projeto tão lindo e transformador para nossos filhos que vivem em situação de risco social.  Parabéns pelo exemplo de humanidade, proteção e cuidado e que cada um de nós possamos ser disseminadores de amor”.

Comentários Facebook