Campanha de enfrentamento contra a Aids mobilizou servidores e pacientes do Hospital e Pronto-Socorro


No total, 71 funcionários realizaram testes rápidos

O Hospital e Pronto-Socorro de Várzea Grande encerrou nesta quinta-feira (07) as atividades oriundas da ação de combate a Aids. Desde a semana passada a unidade de saúde vem realizando um trabalho voltado para a conscientização e prevenção contra a doença.

Isto porque, o mês de dezembro para a saúde pública é voltado na prevenção, orientação e enfrentamento ao HIV/AIDS. Além da distribuição de preservativos e panfletos orientativos aos servidores da unidade, o Pronto-Socorro também disponibilizou uma equipe de enfermagem para realização de testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite.

No total, 71 funcionários realizaram testes rápidos. “Este tipo de iniciativa é muito importante, pois alerta para a necessidade de prevenção”, pontua Relva Cristina da Silva, da Vigilância Epidemiológica.

O Pronto-Socorro ainda ofertou palestras orientativas sobre as doenças sexualmente transmissíveis, sintomas, maneiras de prevenção e as formas de tratamento. Também foi orientado sobre o correto uso de preservativos feminino e masculino.

A ação, coordenada pela Vigilância Epidemiológica, pelo Núcleo de Educação Permanente em Saúde e pelo Serviço de Assistência Especialidade e Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE-CTA VG), teve como objetivo alertar a todos sobre a necessidade da prevenção e da contaminação.

“As formas de contaminação são por meio de relações sexuais, compartilhamento de seringas para o uso de drogas, transfusão sanguínea”, frisou Laura Cristina Pereira Leite, responsável pelo Núcleo de Educação do Hospital.

Além do Pronto-Socorro, a Secretaria de Saúde do município realizou blitz educativas em pontos estratégicos da cidade, como o Shopping de Várzea Grande e a região do Zero Km.

Na oportunidade, os profissionais além de distribuir preservativos, ainda orientaram populares quanto as formas de prevenção da doença, e indicaram as unidades de saúde onde podem ser realizados os testes rápidos.  

No decorrer deste ano, o Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE-CTA) já realizou 1305 testes rápidos para identificação de doenças sexualmente transmissíveis. Destes, 74 deram positivo para o vírus HIV, sendo 36 femininos e 38 masculinos.

A predominância na faixa etária fica entre 15 à 29 anos,  para os resultados positivos. O montante representa um aumento de 60% em relação ao ano passado que fechou 2016 com 46 casos registrados no ano. Além disso, somente em 2017 já foram 13 óbitos em decorrência do HIV/AIDS.

Comentários Facebook