Conmebol proíbe bandeiras manuais e até rolos de papel nas competições de 2019


Bandeiras manuais estão proibidas pela Conmebol em 2019 por motivos de segurança
Reprodução

Bandeiras manuais estão proibidas pela Conmebol em 2019 por motivos de segurança

A fase preliminar da Libertadores da América já tem início marcado para o fim de janeiro e, apesar da ansiedade entre times e torcedores que disputam as vagas restantes nos grupos, o que chama atenção foi o Regulamento de Segurança da Conmebol para as competições de 2019.

Leia também:  Ex-namorada de Cristiano Ronaldo diz que atleta é ‘perseguidor e psicopata’

O texto publicado nas redes sociais da instituição em dezembro traz mudanças significativas na festa da torcida. Por exemplo, no item do Regulamento de Segurança que trata sobre proibições e condições de entrada e permanência do público, está previsto a exclusão de bandeiras manuais de 1.5m por 1m, ‘bandeiras gigantes’, faixas, tecidos, banners e etc.

O regulamento do ano passado já previa algumas restrições aos torcedores, porém menos do que as publicadas nesse ano. Em 2018 foram 18 proibições, e agora serão 21.

O documento ainda trata do tamanho das bandeiras ou faixas que serão permitidas dentro dos estádios. Os tecidos não podem ultrapassar 1.50 metros e não podem ter mais de 90 cm de largura. Todas as faixas devem ser penduradas nas cercas com uma distância de cinco metros de uma à outra.

Leia também:  Salah recebe prêmio de melhor jogador africano e comemora com dança. Veja

Confira os outros itens que serão proibidos em estádios em 2019:

  • Armas brancas
  • Armas de fogo
  • Bebidas alcoólicas
  • Líquidos e sólidos engarrafados em vidro, lata, plástico ou etc.
  • Jogos pirotécnicos
  • Bombas de fumaça
  • Bombas de estouro
  • Extintores de fumaça coloridos
  • Iluminação a laser
  • Apitos
  • Guarda-chuvas e sombrinhas
  • Rolos de papel
  • Objetos acionados com gás, hélio ou outras substâncias
  • Mastros para bandeiras
  • Qualquer tipo de objeto içado através de sistemas aéreos
  • Qualquer objeto que converta-se em um material cortante e
  • Qualquer elemento que a gestão de segurança considerar perigoso

Outro ponto muito comentado está no art. 24 voltado à tecnologia de segurança dos estádios. Um dos itens obrigatórios é um serviço de wi-fi que cumpra as necessidades dos agentes de segurança, porém nem todos os estádios tem essa capacidade. Nesse mesmo item ainda estão previstos reformas estruturais nas arquibancadas e sistemas de televisão/câmeras por todos os espaços do estádio.

O último ponto polêmico do Regulamento de Segurança da Conmebol é a venda de ingressos online. A entidade quer que os torcedores adquiram suas entradas apenas por meio digital e com lugares marcados.

Especialistas veem essa medida como uma predisposição a retirar as chamadas ‘gerais’ dos estádios e introduzir apenas cadeiras, tirando os torcedores que assistem às partidas em pé.

Leia também:  Goleiro Buffon revela que sofreu de depressão na Juventus; leia o relato

Muitas das medidas do Regulamento de Segurança tem margem de implementação até 2021. O documento valerá tanto para a Libertadores da América como para a Copa Sul-Americana.

Comentários Facebook