Coordenadoria de Saúde Mental de Cuiabá promove reinserção social por meio de festejos típicos

Festas típicas promovidas pela coordenadoria de Saúde Mental em Cuiabá têm sido um dos mecanismos de humanização e reinserção social nas seis Residências Terapêuticas da Secretaria Municipal de Saúde. Nesse prisma, os pacientes do Centro de Atendimento Psicossocial CAPS2, localizado no bairro Jardim Paulista tiveram uma tarde de celebração, alegria, dança e muito divertimento, durante a Festa Julina organizada pela equipe da unidade. Parte das pessoas que frequentam o CAPS aproveitaram o momento de lazer, que teve direito à quadrilha, pescaria e comidas típicas.

Rosely de Souza Mendes, de 54 anos, sofre de transtorno mental bipolar e é paciente da unidade há quase 10 anos. Ela disse que faz o possível para participar de todas as atividades de confraternização do CAPS2. “Nestas festas encontramos não só a com a equipe, mas também com os companheiros do CAPS, que são os pacientes que se tratam aqui. Gosto muito do ambiente, porque vejo como se fossem minha família. As atividades que realizamos aqui ocupam nossa mente e aprendemos muitas coisas. Venho todos os dias que eu posso”, elogiou.

A Responsável Técnica do CAPS2, Fabiana Quinteiro, revelou que todos os anos procuram realizar festas nas datas comemorativas, como Carnaval, Dia das Mães, Festa Junina e Natal. “Os pacientes gostam muito dessas comemorações e são bastante participativos. São momentos de integração e as famílias deles também entendem que o quanto estas atividades são importantes e colaboram com a unidade. Muitos vêm ao CAPS apenas para o tratamento e acabam não tendo uma convivência com os outros pacientes. As festas são os momentos que eles têm para confraternizar. A maioria dos amigos que fazem são no CAPS2 mesmo, por isso esperam ansiosamente pelas celebrações”, comentou a RT.

Para Roseli Batista Costa, coordenadora da Saúde Mental, atividades como estas são de extrema importância para os pacientes dos CAPS. “Este tipo de ação resgata a dignidade, o respeito, e proporciona a eles mais qualidade de vida pelo fato de interagir com os amigos. Muitas pessoas que estão aqui sofrem de depressão e este tipo de atividade faz com que esqueçam dos problemas durante um tempo e foquem apenas na diversão”, concluiu.

 

Comentários Facebook