Detran busca integração para implantação da Blitz Seletiva com OCR no Estado

Assessoria

O presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT), Arnon Osny, apresentou às forças de segurança o Projeto Integrado de Fiscalização de Trânsito Blitz Seletiva com uso de OCR (Optical Character Recognition), que é uma tecnologia de leitura ótica para fiscalização e  combate a roubo e furtos de veículos.

Participaram da reunião o diretor geral da Polícia Judiciária Civil, Fernando Vasco, os delegados, Anderson Clayton da Cruz e Veiga e Vitor Hugo Bruzulato, o representante do Batalhão de Trânsito, Major PM Adão Cesar Silva, o representante do Gabinete de Gestão Integrada da Sesp, Rafael Dias Guimarães, e a Diretora de Administração Sistêmica do Detran, Lilian Felício.

O presidente contextualizou o cenário atual de Mato Grosso com relação a documentação,  a fiscalização e os índices de roubos e furtos, e apresentou a proposta da construção de um cronograma e diretrizes para a implantação da Blitz Seletiva no estado. “Verificamos os modelos implantados nos estados de Alagoas e Goiás, que já usam esse sistema, e queremos implantar em Mato Grosso com um termo de cooperação técnica entre os órgãos envolvidos”, disse.

Para o delegado geral da PJC, Fernando Vasco, o sistema vai contribuir para que as forças de segurança tenham uma maior capacidade de fiscalização e no combate a criminalidade. “Com a implantação do sistema teremos condições de abordar já sabendo que o condutor do veículo está com um produto de ilícito, ou seja, um veículo furtado ou roubado. Vai facilitar e possibilitar que a sociedade tenha um grande ganho em segurança pública”, afirmou.

O Major PM Cesar, reafirmou a parceria e demonstrou o interesse do Batalhão de Trânsito nas ações do Projeto. “É uma excelente proposta principalmente na fiscalização de veículos de roubos e furtos. Com a aplicação desse projeto esses veículos serão identificados através da fiscalização eletrônica da própria OCR, já estamos fazendo a nossa ordem de serviço para que seja empregado o efetivo”.

De acordo com o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Sesp, Rafael Dias Guimarães, este é mais um projeto que haverá mais integração das instituições que compõem a Secretaria, principalmente porque é operacional.

“São equipamentos tecnológicos que vão contribuir não só em ações de roubos e furtos imediatos de veículos, mas numa esfera maior, em outras ocorrências nas quais os veículos são utilizados para homicídios, trafico de drogas, enfim veículos que são utilizados por criminosos para cometimento de mais delitos. As instituições só têm a ganhar com a implantação dessa tecnologia”, afirmou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA