Dr. Xavier volta a alertar: “Não apoio CPI que envolva atitudes truculentas”

12/07/2018
Dr. Xavier volta a alertar: “Não apoio CPI que envolva atitudes truculentas”
Brunna Maria – Secom/Câmara de Cuiabá

Vereador Dr. Xavier
Em entrevista à imprensa hoje (12), o vereador Dr. Xavier reafirmou seu descontentamento com os rumos tomados pela CPI da Saúde nos últimos dias. O parlamentar não negou que esteja propenso a se afastar da CPI e até pedir seu cancelamento se forem desrespeitadas as regras básicas que envolvem o trabalho investigatório. “O respeito aos servidores – na coleta de dados nas unidades de Saúde – é uma das principais”, citou. “Desrespeitá-los é inadmissível em todos os sentidos. Mesmo porque eles (servidores) sempre atuaram de forma idealista. É através deles que a Saúde Pública funciona, ainda que, eventualmente, possa registrar falhas. Muitas, aliás, transformadas em denúncias, motivo de instauração da atual CPI”.
Dr. Xavier citou como exemplo que, enquanto a CPI acontece, a Saúde (via SUS) também continua a funcionar normalmente em Cuiabá. “Independente da CPI, a Saúde está trabalhando para atender os munícipes neste exato momento. Basta ir a qualquer unidade e comprovar que todos estão de prontidão para atender quantos lá estejam. Então, é altamente injusto afirmar o contrário disso, ou até pior: chegar numa secretaria e exigir, de modo truculento, para que os coordenadores disponibilizem informações diversas. Não é por aí que uma CPI trabalha, e eu contesto veementemente tal prática arrogante”.
Dessa forma, o vereador não descartou que esteja propenso a sair da CPI e até pedir seu cancelamento junto ao relator. “Queremos buscar soluções, não causar constrangimentos e humilhações aos servidores. Achei contraditória, estranha, a visita que o presidente da CPI, vereador Abílio Jr., fez a uma das unidades de Saúde de Cuiabá, sem me avisar. E fez isso acompanhado de outros dois colegas que sequer pertencem à comissão da CPI. Segundo fomos informados, houve truculência na abordagem, humilhando servidores. Essas visitas têm que ser marcadas e feitas de forma coletiva, não individual. Não foi para compactuar com atitudes do tipo que assinei a favor da CPI, mesmo sendo integrante da base do prefeito Emanuel Pinheiro na Câmara Municipal”.
João Carlos de Queiroz/Secretaria de Comunicação Social/CMC

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook