Evento no RJ celebra o Dia Nacional da Conservação do Solo

O secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo, declarou, que o país irá investir na recuperação do solo e da água em áreas degradadas para aumentar a produtividade da agricultura nacional. Camargo participou na manhã desta segunda-feira (15), no auditório do Museu do Meio Ambiente, no Rio de Janeiro, de um ciclo de palestras e debates em comemoração ao Dia Nacional de Conservação do Solo.

Promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, o Governo do Estado do Rio de Janeiro, Embrapa Solos e o Instituto de Pesquisas do Jardim Botânico do Rio, o evento reuniu gestores e técnicos de entidades públicas, pesquisadores e outros atores na discussão das políticas e demais iniciativas dedicadas à promoção do uso sustentável do solo e da água pela agricultura e pela pecuária, em especial, no Estado do Rio de Janeiro.

O secretário que representou a ministra Tereza Cristina no evento, lembrou que ela “tem sempre ressaltado que, para o Brasil aumentar a produção, não será necessário cortar mais nenhuma árvore, mas, sim, recuperar áreas degradas, em especial aquelas danificadas pela pecuária, e torná-las novamente produtivas e sustentáveis”, disse o secretário do Mapa.

Camargo destacou também que a governança do solo é outro aspecto essencial para a conservação da terra e o aumento sustentável da produtividade do campo, sem que haja novas expansões das áreas plantadas. Lembrou que, através do Programa Nacional de Solos do Brasil (Pronasolos), o Governo Federal está realizando o mapeando e o diagnóstico da composição do solo brasileiro, cujo resultado será fundamental para a recuperação e a conservação desse recurso natural.

“Esse mapeamento está em construção e apresentará informações detalhadas e precisas para o conhecimento efetivo do solo brasileiro. Isso permitirá ao agricultor planejar seu cultivo com maior produtividade possível, reduzindo a utilização de fertilizantes e os danos ao solo”, destacou afirmou.

Também participou o coordenador geral de Conservação do Solo e Água do Mapa, Jefé Ribeiro, que fez uma análise sobre a posição do Brasil com relação às diretrizes para o manejo sustentável do solo, sugeridas pela Aliança Global pelo Solo como base para a construção de políticas públicas de agricultura.

Chefe da Divisão de Política, Produção e Desenvolvimento Agropecuário (DPDAG), da Superintendência Federal de Agricultura (SFA-RJ), o engenheiro agrônomo Celso Merola apresentou, juntamente com especialista em meio ambiente da Firjan, Andrea Lopes, um balanço das ações desenvolvidas para a implementação de uma agricultura de baixa emissão de carbono no meio rural fluminense, pelo Grupo Gestor do Plano ABC de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Boas práticas

Com apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Embrapa Gado de Leite e do Banco do Brasil, em um ano o trabalho desenvolvido possibilitou capacitações de agricultores e técnicos e a multiplicação de práticas de manejo sustentável da agricultura e da pecuária, além do acesso de produtores rurais às linhas de financiamento para a agricultura de baixo carbono.

De maio a novembro do ano passado, 128 empreendimentos rurais fluminenses, obtiveram financiamento para o desenvolvimento de projetos da agricultura de baixo carbono, que resultaram na recuperação de um total de 3.270 hectares de terras antes degradadas.

O evento também teve apresentações sobre os impactos do Programa Rio Rural do Governo do Estado do RJ para a conservação do solo e da água no meio rural fluminense, um panorama da ciência do solo e as perspectivas do Brasil para a conservação do solo e da água com relação às iniciativas da Aliança Global do Solo.

Celebrado em 15 de abril, o Dia Nacional de Conservação do Solo foi criado para destacar a importância da utilização correta e sustentável deste recurso natural fundamental para a produção de alimentos.

Também participaram da celebração, o chefe geral da Embrapa Solos, José Carlos Polidoro, o presidente do Instituto de Pesquisa do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Sérgio Besserman Viana, o subsecretário de agricultura familiar do Estado do RJ, Adriano Lopes, o subsecretário de Desenvolvimento Rural do Estado do RJ, Ramon de Paula Neves, o superintendente federal de Agricultura no RJ, Gilberto Alencar Belo.

Leia também:

Técnicas sustentáveis de plantio preservam o solo e aumentam rendimento da produção

 Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook