Gatilhos mentais durante a campanha

Cláudio Cordeiro é publicitário, marqueteiro; membro ALAP, FENAPRO, SINAPRO/MT E ABCOP; e
Diretor Presidente Gonçalves Cordeiro Comunicação Multiplataforma

Por Cláudio Cordeiro

Sacadas inteligentes, planejamento estratégico e bom relacionamento com a equipe são pontos essenciais neste momento tão importante que é durante a campanha eleitoral. A cada dia que se passa estamos mais próximos do dia tão decisivo para milhares de eleitores e também para os seus candidatos que disputam pelo pleito: o dia 7 de outubro.

Afinal, se você deseja persuadir, influenciar ou é claro, vencer na campanha eleitoral você precisa ativar a zona de pensamento rápido em seu cérebro e que podemos chamar de gatilhos mentais.

Gatilhos mentais são as decisões que o nosso cérebro toma “no piloto automático” para evitar o nosso esgotamento diante de tantas escolhas. Os gatilhos mentais são os facilitadores do nosso cérebro na hora da tomada de decisões ou atitudes.

É um assunto super importante no marketing digital, pois se você busca vender algum tipo de produto ou tipo de serviço, você precisa do SIM do seu futuro cliente. Mas, trazendo isso para a campanha política, no caso você precisará do CONFIRMAR do seu eleitor. Uma obra bastante interessante é o ‘Thinking, Fast and Slow’ (Pensando, rápido e lento) é um best-seller publicado em 2011 pelo Nobel Memorial Prize em Ciências Econômicas laureado Daniel Kahneman.

Os gatilhos mentais têm função de influenciar pessoas na arte da persuasão e não de manipular pessoas. E hoje vou falar em alguns (de dezenas que existem por aí) dos gatilhos para ativar o pensamento rápido das pessoas para aumentar o poder de influência (na escolha do voto).

– Urgência: É agora ou nunca! – está ligado ao fator tempo, pois o produto ou serviço têm um prazo limite para serem adquiridos. A campanha reduziu de 90 para 45 dias, então não é momento de perder tempo. É momento de correr atrás de votos. A procrastinação é um dos maiores vilões para qualquer tipo de negócio. Para ativar esse gatilho, você pode usar palavras e expressões que demandem uma resposta comportamental instantânea, como: “Só até hoje”, “Sua última chance”, “Hoje é o último dia”, “Imediato” e “Agora”.

– Autoridade: Manda quem pode, obedece quem tem juízo – este é um gatilho bem peculiar, pois ao mesmo tempo que é muito eficaz, também pode ser nocivo se usado para o “mal”. Se você quiser que as pessoas confiem em você e no seu trabalho, precisa posicionar-se como uma autoridade no nicho em que atua. Tenha um planejamento estratégico diante de pessoas que dominem o assunto. Agilidade, experiência e saber resolver problemas são qualidades fundamentais em meio a uma campanha política.

– Reciprocidade: Gentileza gera gentileza – O gatilho da reciprocidade é um dos mais importantes. Isso porque temos uma tendência natural a querer retribuir àquilo ou àquele que nos gera valor de alguma forma. Não faça as coisas esperando uma recompensa, mas a vida sempre trata de retribuir as boas ações.

– Antecipação: “A melhor forma de prever o futuro é criá-lo” (Alan Kay) – sem dúvida um gatilho muito poderoso, pois mexe com as nossas expectativas em relação ao futuro. E nesse caso é vencer a campanha. Com boas sacadas, planejamento e imediatismo esse resultado estará mais breve de ser alcançado.

Para atingir seus objetivos, pense em longo prazo, aja com ética e sempre entregue o que foi prometido. Quando mentimos e utilizamos os gatilhos mentais apenas para benefício próprio, estamos manipulando as pessoas, não persuadindo.

Cada gatilho é importante para seu desenvolvimento durante o marketing na campanha eleitoral. É a habilidade de trazer pessoas para o nosso lado, mudando apenas a maneira como apresentamos nossos argumentos.

Cláudio Cordeiro – Publicitário, Advogado, Consultor Politico ABCOP, Membro ALAP, Diretor da FENAPRO e da Agência Gonçalves Cordeiro Comunicação Multiplataforma

Comentários Facebook