Juventude Ativa: aprendendo, instruindo e transformando jovens de VG

Em uma tarde descontraída no Várzea Grande Shopping com apresentações de mostras culturais de teatro, dança, música, grafitagem, esportes e pintura em tela, centenas de jovens de 24 bairros participaram do encerramento da etapa do primeiro semestre de 2018 – das oficinas oferecidas pelo ‘Projeto Juventude Ativa’, que atende 600 jovens de 12 a 17 anos nos seus direitos e garantias, além de  participação cidadã em atividades lúdicas.

A prefeita Lucimar Sacre de Campos, idealizadora do projeto participou da cerimônia e enalteceu o entusiasmo, esforço, empenho e comprometimento dos jovens na participação ativa no projeto social. A mostra contou com a participação de um público de aproximadamente trezentas pessoas na Praça de Alimentação do Várzea Grande Shopping, nesta quinta-feira (28).

A prefeita enfatizou que o projeto vem cumprindo seu papel social na cidade. “Foi muito importante esta etapa do projeto para nossos jovens, uma vez que visa estimular e fortalecer a cultura e aprendizagem com oportunidades,  sendo mais uma ferramenta de transformação social. ‘Juventude Ativa’ é um incremento de políticas públicas da gestão que fortalece ainda mais o nosso alcance a essa juventude que precisa de apoio e busca qualificação para ingressar no mercado de trabalho. Sempre digo que é fundamental jovens estarem sempre ocupados em qualificação para se prepararem para os desafios da vida e do mercado de trabalho, pois o mercado é versátil e competitivo”, frisou a prefeita.

O projeto, que é inédito em Várzea Grande consiste em agregar conhecimentos éticos e morais, técnicas de aprendizagem, e também contribui para a formação de uma nova geração capazes de promover o desenvolvimento humano e cultural dos jovens,  que residem em áreas de vulnerabilidade. Juventude Ativa é executado pela Secretaria Municipal de Assistência Social.

A secretaria de Assistência Social, Flávia Omar disse que o projeto integra a Rede Socioassistencial do município na implementação de políticas públicas de Assistência Social no cuidado e proteção do jovem, canalizado um caminho certo e seguro para desempenho de suas habilidades intelectuais e profissionais. “Essa etapa se conclui com atividades e conhecimentos mais apurados. Nossos jovens tem um norte a seguir, estamos contribuindo na construção de um futuro de êxitos e possibilidades. Esta é uma ferramenta de oportunidade, inclusão social, dignidade e respeito. No próximo semestre estaremos inovando nas oficinas com um cronograma diferenciado que vai ao  encontro dos anseios da faixa etária”, sublinhou a secretária.

A secretária acrescentou ainda que o projeto tem como objetivo apoiar a proteção social básica, especial de trabalho à família e a comunidade de Várzea Grande, promovendo apoio técnico e qualificação socioprofissional para os jovens, na perspectiva da inclusão social e produtiva, autonomia e resgate a dignidade humana.

Conforme subsecretária e coordenadora do projeto, Vanessa Navarro, nos polos onde acontecem as seis oficinas é proporcionado espaços de convivência, formação para a participação e cidadania, desenvolvimento do protagonismo dos adolescentes e jovens de forma a desenvolver suas potencialidades nos cursos profissionalizantes. “O projeto é desenvolvido pela prefeitura com uma proposta inovadora de caráter transformador e dinâmico. O conhecimento obtido será repassado para o meio em que vivem, e ainda proporcionando um norte para opção profissional futura”, informou a coordenadora.

Entre os jovens que foram conferir as apresentações estava Laise Loraine de Campos, de 13 anos, do bairro Jardim Glória II. “Esse evento é muito importante para o jovem ganhar mais força. É uma chance da gente mostrar  nosso talento que foram despertados nas oficinas em que participamos. Participo da oficina de dança. Dançar para mim é uma arte de muito valor social”.

Para o aluno de teatro, Alison Nascimento do bairro Ponte Nova, as aulas são incentivadoras e motivadoras. A oficina me aperfeiçoa a cada dia. É uma bela iniciativa que dá oportunidades para nós jovens em situação de vulnerabilidade social. Quero parabenizar a Prefeitura, e espero que o projeto nunca termine”, relatou.

Neste primeiro semestre de 2018 foi executado em 24 bairros em áreas de abrangência de cada Centro de Referencia de Assistência Social – CRAS – cada grupo integrado por 25 adolescentes, sendo eles: CRAS Cristo Rei: Unipark, Parque do Lago, Ponte Nova, COHAB Cristo Rei, Jardim das Oliveiras, Cristo Rei. CRAS Santa Maria: Ipase, Jardim Primavera, Santa Maria, Bonsucesso, 15 de maio, Cohab Nossa Senhora da Guia. CRAS Jardim Glória: Jardim Gloria I, Jardim Esmeralda, Mapim, Jardim Gloria II, Serra Dourada, Nova Ipê. CRAS São Matheus: Parque Sabiá, Cohab Canelas, Colinas Verdejante, Jardim Paula I, Ouro Branco e Ouro Verde.

Comentários Facebook