Polícia Civil prende acusado de roubos e extorsão contra motoristas de aplicativo Uber

Assessoria | PJC-MT

Um homem acusado de atuar em roubos e extorsão de motoristas do aplicativo Uber teve dois mandados de prisão cumprido pela Polícia Judiciária Civil, na quinta-feira (05.07), após ser identificado nas investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá.

Com emprego de arma de fogo, Gilson da Cruz Amorim, obrigava as vítimas a comprar drogas e dar dinheiro par ele para que fossem liberadas. Pelo menos dois motoristas do aplicativo Uber foram vítimas do suspeito, sendo as ocorrências registradas nos meses de maio e junho deste ano.

Segundo as investigações, o suspeito utilizava o aplicativo para chamar os motoristas, marcando como local para embarque em postos de combustíveis. No momento em que entrava no veículo, o suspeito apontava a arma para a vítima e começava a dar ordens.

De acordo com a delegada, Mariell Antonini Dias, o acusado exigia que o aplicativo fosse desligado e fazia com que a vítima circulasse por vários bairros da cidade, para comprar drogas, encontrar comparsas ou realizar saques de dinheiro para o suspeito. “Uma das vítimas teve a liberdade restringida por mais de 4 horas e foi obrigada a sacar R$ 2 mil para ser liberada pelo acusado”, disse a delegada.

Os casos foram investigados em inquéritos policiais instaurados delegados Mariell Antonini Dias e pelo delegado Diego Alex Martiminiano da Silva que, com base nas apurações, representaram pelos mandados de prisão preventiva e temporária (respectivamente) contra o suspeito.

As ordens de prisão foram decretadas pela Justiça e cumpridas na quinta-feira (05) pelos policiais da Derf Cuiabá, em uma clínica de tratamento para dependentes químicos em Várzea Grande, onde o suspeito estava internado. Após ser interrogado, o acusado foi encaminhado para audiência de custódia e ficará a disposição da Justiça.

 

Comentários Facebook