Por que os clubes ingleses estão dominando a Europa? Confira os motivos

Lance


Tottenham e Liverpool
Reprodução

Tottenham e Liverpool são os clubes ingleses que vão decidir a Champions

Os clubes ingleses estão em alta. Liverpool e Tottenham vão decidir o título da Liga dos Campeões, enquanto Arsenal e Chelsea vão medir forças para ver quem vai ser o campeão da Liga Europa. Pela primeira vez na história, as duas principais finais europeias vão ter quatro equipes do mesmo país.

Alguns jornalistas ingleses contaram o segredo do sucesso e mostram como entender esse domínio dos clubes ingleses no continente. Tempo para trabalho dos treinadores, possibilidades e dinheiro para altos investimentos, estilo e identidade bem definidas são algumas razões.

SECA

A última vez que dois clubes ingleses decidiram a Champions foi em 2007/08, com Manchester United e Chelsea. Os Diabos Vermelhos foram os campeões, nos pênaltis. Desde então, as equipes inglesas pararam de ter frequência nas decisões. Isso fez com que os investimentos aumentassem, assim como o desejo. A vitória do Leicester, na Premier League de 2015/16, também foi um ponto chave para uma mudança.

“É importante lembrar que antes do Liverpool chegar na final na última temporada, os clubes ingleses passaram um período difícil em competições europeias. Desde que o Leicester chocou e ganhou a Premier League (2015/16), os principais clubes passaram a investir mais pesado em jogadores e técnicos. Agora temos seis times que podem indiscutivelmente vencer qualquer liga do mundo”, disse James Ayles, jornalista do ‘Daily Mail’

Com duas rodadas de antecedência, o Leicester foi campeão de forma surpreendente na temporada 2015/2016. Ele foi beneficiado por um empate entre Tottenham e Chelsea: 2 a 2

INVESTIMENTOS

A Premier League também rende bastante dinheiro aos clubes. Newcaslte (13º colocado na atual temporada) é o 19º clube mais rico do mundo, enquanto o West Ham (10º) é o 20º. As cotas televisivas e o lucro na competição potencializa o investimento e, consequentemente, aumenta o nível da competição. Os grandes clubes se acostumam a lidar com um alto nível, que muitas vezes não é visto nas competições europeias.

“Não tem como negar que o novo acordo com as cotas de televisão, de 5 bilhões de libras (R$ 25 bilhões), foi um ponto chave para o sucesso para os clubes ingleses. As equipes estão ainda mais fortes. Os clubes mais fracos começaram a competir mais com os seis grandes. O padrão da Premier League fez com que o nível aumentasse, tendo em vista que são melhores que os demais clubes europeus”, analisou Peter Rutzler, jornalista do ‘Daily Mail’.

ARSENAL E CHELSEA

O Chelsea não teve muita dificuldade na Liga Europa, até a difícil semifinal com o Eintracht Frankfurt. O Arsenal, por sua vez, teve caminhos mais complicados e chegou a enfrentar Valencia e Napoli (quartas e semi, respectivamente). O retrospecto de Unai Emery, especialista na competição, também pesou.

“No Arsenal, não tem como negar o retrospecto positivo de Unai Emery na Liga Europa. Ele conquistou três títulos consecutivos com o Sevilla e mostra que sabe o que fazer na competição. Os Gunners foram muito bem contra dois grandes europeus, Napoli e Valencia”, elogiou Peter Rutzler.

Unai Emery - Napoli x Arsenal

A falta de recurso de equipes menores também pesa no desenvolvimento na competição. O Chelsea ficou no Grupo H, com BATE, Videoton e PAOK. O elenco dos três clubes juntos é avaliado em R$ 457 milhões de reais, menos do que os Blues pedem ao Real Madrid só por Eden Hazard. O elenco do clube londrino é avaliado em R$ 4 bilhões.

“Pode-se dizer que Chelsea e Arsenal são clubes de padrão de Champions League disputando a Liga Europa. Chelsea foi bem na Inglaterra, considerando o nível dos adversários. Arsenal está se reconstruindo e tem mais progresso a fazer. O sucesso de ambos comprova como os clubes ingleses estão avançados em comparação a outras ligas que não tem os mesmos recursos”, pontuou James Ayles.

KLOPP E POCHETTINO

Klopp

Além dos investimentos, Liverpool e Tottenham têm outros pontos em comum: o longo trabalho e a filosofia bem definida de seus técnicos. Klopp impressiona pelo seu comando nos Reds dentro e fora de campo, enquanto Pochettino conseguiu sucesso sem contratar nenhum jogador nas últimas duas janelas. 

“Dinheiro não é tudo. Ter uma filosofia, uma direção e estratégias claras fazem parte do sucesso, principalmente em competições europeias. Klopp desenhou sua equipe com sua filosofia em mente. Tempo de trabalho também é um elemento chave. Klopp está no Liverpool há quatro anos; Pochettino, há cinco. Eles tiveram tempo de impor seu estilo em jogadores que eles mesmo compraram. É um processo longo e os resultados estão aparecendo”, finalizou Peter Rutzler.

Quais dos clubes ingleses vão se dar melhor nas finais continentais? Comente!

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook