Quando câncer de próstata tem metástase no cérebro

Por Dr. Roger Rotta 

 O mês de novembro foi escolhido para fazer um alerta aos homens sobre o câncer mais comum no sexo masculino, o câncer de próstata. Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer só em 2016 a previsão foi de surgimento de mais 61.200 casos novos, cerca de 67,59% por 100 mil habitantes. Só em Mato Grosso a estimativa é que tenham surgidos 1.040 novos casos.

Cerca de 2% a 4% dos pacientes com câncer de próstata terão metástases para cérebro ou medula espinhal. A metástase cerebral por adenocarcinoma de próstata ocorre por disseminação hematogênica (através do sangue) a distância, somente após comprometimento dos ossos e pulmões, sendo mais comum metástases em coluna vertebral do que no cérebro.

No caso específico da metástase cerebral no câncer de próstata ocorre por disseminação hematogênica a distância, somente após comprometimento dos ossos e pulmão, devido a isso se torna muito mais difícil de tratamento e cura.

 Sabemos que quando atinge o cérebro, o câncer de próstata se torna dificilmente incurável, mas com as tecnologias não significa que o paciente irá morrer em um curto espaço de tempo. A medicina proporciona hoje, uma melhoria do estado geral, controle da doença, aumento da sobrevida e o alívio do sofrimento.  

Por isso é importante uma vez por ano fazer exames de sangue como PSA que pode identificar a possibilidade de um tumor, pois quanto mais cedo se descobrir e iniciar o tratamento, maiores as chances de cura.

Vamos acabar com a cultura machista de que homem não precisa de médico. Precisa sim. Vale lembrar que quanto mais cedo é descoberto, mais aumentam sua chance de cura.

 

 

Comentários Facebook