Sai de linha o carro mais barato do mundo


Tata Nano: versão atual do carro mais barato do mundo, que foi produzido por 10 anos e sai de linha
Divulgação

Tata Nano: versão atual do carro mais barato do mundo, que foi produzido por 10 anos e sai de linha

Durou apenas 10 anos a produção do carro mais barato do mundo, o indiano Tata Nano. De acordo com a agência de notícias Bloomberg, apenas uma unidade foi produzida no mês passado. E em junho de 2017 foram feitas somente 275. É o fim do modelo.

LEIA MAIS: Andamos no pequeno Chery QQ, o carro mais barato do Brasil

O Tata Nano foi lançado no mercado da Índia em 2008, pelo equivalente a US$ 1.500, o que equivale a cerca de R$ 5.800, numa conversão simples. Entretanto, o preço do modelo foi aumentando ao longo do tempo, chegando nos US$ 3.435 atualmente, ou em torno de R$ 13.300.

Entre os fatores que levaram ao fim da produção do modelo, destacam-se os seguintes: baixíssimo nível de segurança, péssimos resultados nos testes de colisão e aumentos dos custos de produção. Além disso, há vários relatos de unidades que pegaram fogo, o que também não é nada bom.

LEIA MAIS: Volkswagen terá marca de baixo custo em 2019. E logo chegará ao Brasil

Porém, o fim do Tata Nano não significa que o mercado indiano de automóveis vai mal. Muito pelo contrário. As vendas cresceram 38% em junho. A questão do pequeno modelo, que custa pouco, trata-se de uma tentativa em vão de ir muito além do possível quando o assunto é custo de produção e tornar um modelo realmente barato perfeitamente viável.

O mais barato do Brasil


Chery QQ: feito no Brasil, subcompacto da marca chinesa é o modelo menos vendido da categoria no País
Divulgação

Chery QQ: feito no Brasil, subcompacto da marca chinesa é o modelo menos vendido da categoria no País

No Brasil, o carro mais em conta à venda atualmente é o Chery QQ Smile, que tem preço sugerido de R$ 27.990. Mas por esse valor, a simplicidade é tanta que não há nem direção assistida e ar-condicionado, itens que são praticamente indispensáveis hoje em dia. 

O visual do carrinho até é simpático e moderno, mas sua estrutura e o conjunto mecânico ainda não atingiu os níveis mínimos necessários para atingir os principais concorrentes. Nos quesitos comportamento dinâmico, segurança e qualidade o QQ ainda fica devendo bastante.

LEIA MAIS: Os 5 carros mais bizarros já fabricados no mundo até os dias atuais

A rede de concessionários também deveria ser mais abrangente e a marca poderia ter melhores condicões de entregar peças e serviços com mais eficiência, em um patamar mais próximo dos principais concorrentes, que conseguem volumes de vendas bem mais altos. 

O baixo preço do Chery QQ não reflete no volume de vendas. Pelo contrário, o carro é o menos vendido da categoria, de acordo com o balanço mensal da Fenabrave. Entre janeiro e junho, teve apenas 1.616 unidades vendidas, bem abaixo dos principais rivais, como Renault Kwid (29.678) e Fiat Mobi (24.997). Trata-se de um caso parecido com o do Tata Nano.

Comentários Facebook