Um mês depois, São Paulo volta com mudanças ao palco da final estadual

Lance


Cuca
Site oficial

Cuca mudou a cara do São Paulo após derrota no estadual

No dia 21 de abril deste ano Corinthians e São Paulo entraram em campo para a decisão do Paulistão-2019, na Arena em Itaquera. As lembranças daquela ocasião não são felizes para o torcedor são-paulino, que viu seu time ser derrotado para o rival, que ficou com o título. Neste domingo, às 19h, no mesmo palco da final, o Tricolor volta a enfrentar o Timão, desta vez pelo Brasileirão, e com uma formação bastante modificada após um mês.

Leia também: Em alta nos clássicos, Carille vai atrás de mais uma vitória no Majestoso

Apesar de o técnico ser o mesmo, naquele momento Cuca ainda não havia conseguido dar a sua “cara” a um trabalho que tinha muito do que Vagner Mancini arrumou após a saída de André Jardine, mesmo que o atual comandante do São Paulo já viesse participando das decisões nos bastidores antes de poder retornar às atividades, por conta de problemas de saúde. 

Além disso, houve a chegada de alguns jogadores, como Tchê Tchê e Alexandre Pato, a perda de espaço de outros , como Jucilei e Everton Felipe e a afirmação de alguns, como Luan, Igor Gomes e Toró, que de dispensável e pouco citado virou desfalque importante para a partida deste domingo. Veja em tópicos as principais mudanças da equipe de Cuca pouco mais de um mês após a final.

Tiago Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo, está deve ser a defesa que enfrentará o Corinthians neste domingo, a mesma que entrou em campo na final do estadual. Na lateral direita, Hudson improvisado acabou se firmando ainda mais na posição, principalmente enquanto os reforços pedidos por Cuca não chegam. O volante por ali facilita a troca com Tchê Tchê durante os jogos, já que o ex-palmeirense também tem essa versatilidade.

Na decisão do Paulistão, o meio-campo foi formado por Luan, Jucilei e Igor Gomes. Apenas um deles não estará em campo neste domingo, mas que na cabeça de Cuca é um dos grandes diferenciais do time atualmente. Tchê Tchê, seu homem de confiança desde sua passagem pelo Palmeiras, trazido a seu pedido para o Tricolor, estará no lugar de Jucilei, que desde então não teve mais oportunidades. É pelo polivalente meio-campista que passa um jogo mais dinâmico e mais leve. Tchê Tchê tem sido o principal articulador de jogadas no setor e mudou o jeito da equipe atuar.


Sem Carneiro, Pablo e Diego Souza, o São Paulo foi até Itaquera para disputara a final do Campeonato Paulista com um ataque remendado. E o escolhido para ocupar a lacuna de um centroavante foi o meia-atacante Everton Felipe, que não jogou mais de lá para cá. Agora, com Alexandre Pato, ainda que não seja o jogador da posição sonhado por Cuca, dá outro status para o setor, que também terá o jovem Antony, titular absoluto e o experiente Everton, substituto de Toró, suspenso, que na época da decisão sequer era citado, e estava de malas prontas para ir para a Chapecoense, mas ganhou espaço e será um desfalque sentido na noite deste domingo.

Leia também: Com VAR decisivo, Palmeiras vence o Botafogo em Brasília e segue na liderança

As mudanças e novidades não significam necessariamente a garantia de três pontos inéditos na Arena do rival, até porque outros aspectos ainda não mudaram, como a condição física de Hernanes, que permanece com dificuldades para engatar uma sequência e ficará no banco novamente, bem como naquele 21 de abril. A expectativa é de um São Paulo com postura e jeito de jogar diferentes para tentar trazer lembranças positivas desta vez.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook