Várzea Grande alerta sobre monitoramento por radar eletrônico móvel

Após quatro meses de conscientização e orientação, três novos radares passam a operar em Várzea Grande em 1º de dezembro. Ao menos 3 Avenidas – Feb, Filinto Muller e 31 de Março – serão fiscalizadas pelos equipamentos e o motorista que for flagrado acima da velocidade permitida, que é 60 km, será penalizado. Segundo a Prefeitura, a intenção não é criar uma ‘indústria de multas’, mas, melhorar o trânsito e ajudar a prevenir acidentes nestas Avenidas de intenso tráfego de veículos e motocicletas.

Inicialmente as autuações começariam em 1º de novembro, mas em respeito à lei existente na cidade e aos cidadãos, o prazo para adaptação e orientação foi prorrogado para melhor conscientização do motorista e o motociclista.

O secretário municipal de Defesa Social e Comandante da Guarda Municipal, Evandro Homero Dias, disse que estes pontos onde estarão operando os radares móveis estão sendo devidamente sinalizados. “Os agentes de trânsito do município receberam treinamento para operar os equipamentos de forma adequada. O segundo passo foi o diagnóstico do trânsito para traçar um planejamento estratégico da cidade na sua área de atuação”.

Os novos radares móveis poderão ser deslocados para vários pontos, devidamente sinalizados com placas de ‘velocidade máxima permitida’ e placas indicativas de ‘fiscalização eletrônica’. Os radares serão instalados rotativamente em vários pontos das avenidas da Feb, Filinto Muller e 31 de Março, 24h/dia.

As infrações por excesso de velocidade variam entre média, R$ 130,16, a gravíssima R$ 880,41, além dos pontos registrados na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os veículos flagrados trafegando em alta velocidade que a permitida que é de 60 km nas Avenidas estarão sujeitos a multas graves e pontos na CNH, respectivamente.

O secretário esclareceu ainda que a queixa de muitos motoristas de que os radares estáticos ficam escondidos o que não é verdade, as placas com limite de velocidade é para respeitar. “Os radares são necessários pelo desrespeito a Lei de Trânsito. Os equipamentos registram a velocidade do veículo de frente, ou seja, o veículo que está vindo em direção ao radar, não depois que ele passa. Muitas vezes, os aparelhos são colocados próximos a postes ou árvores para proteção do equipamento e para evitar, por exemplo, que eles sejam derrubados por algum condutor ao passar. Mas eles não ficarão escondidos, e sim, estarão visíveis aos motoristas”, afirmou.

“Aliado às ações de educação no trânsito e conscientização dos condutores em relação à necessidade de se respeitar as regras de trânsito, o radar é uma das medidas para reduzir acidentes. E as medidas surtirão efeito no lapso temporal. Acreditamos que com a conscientização junto à população haverá uma redução significativa no número de multas aplicadas pelo radar móvel, isso significará realmente que a conscientização do motorista em relação aos limites de velocidade estão sendo eficazes na cidade”, explica o secretário Homero Dias.

Comentários Facebook