Você tentaria comprar um carro importado de alto luxo?

Olá, gravateiros e gravateiras. Encerrei a nossa coluna em 2018 com um artigo pesado em que sugeri a redução do padrão de vida para as pessoas que estão no vermelho . Na linha do “ano novo, sonhos novos”, vou começar 2019 de uma forma mais leve. É só um simbolismo, mas eu quero fazer uma provocação ao término deste texto. Se você tivesse um sonho de ter um carro importado de alto luxo, acima de 500 mil reais, tentaria comprá-lo?

Leia também:  Está sempre no vermelho? Sugiro rever o seu padrão de vida

Eis uma curiosidade: apenas 89 brasileiros adquiriram, no ano passado, modelos Ferrari (33 unidades), Lamborghini (15 unidades), Maserati (39 unidades) e Rolls-Royce (2 unidades), segundo balanço da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa). Em 2017, foram vendidas 87 unidades de luxo , ou seja, um mercado praticamente estável.  

Essas quatro marcas famosas oferecem modelos que, em sua maioria, são milionários. Uma rápida pesquisa no site iCarros mostra que a Ferrari tem carros de R$ 1,8 milhão a R$ 4,0 milhões; Rolls-Royce, de R$ 3,6 milhões a R$ 4,7 milhões; Lamborghini, cerca de R$ 4,5 milhões; e Maserati, de R$ 690 mil a R$ 1,4 milhão.

Leia também: Por que as vendas de carros crescem 10 vezes mais que a economia?

Há outras marcas que também oferecem veículos com preços superiores a R$ 500 mil, mas o critério foi mencionar apenas as montadoras que tenham exclusivamente modelos acima de meio milhão de reais. A Porsche, por exemplo, tem carro de R$ 560 mil, mas ficou de fora da lista pois também oferece modelos abaixo de R$ 500 mil. Lembrando que todos os valores aqui citados já contemplam uma alíquota de importação de 35%, o máximo permitido pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

No Brasil, há muitas barreiras à expansão desse mercado automotivo de alto luxo. Além do preço ser incompatível com a renda da ampla maioria dos brasileiros, há questões como a falta de segurança pública e a péssima qualidade de ruas e estradas, que desestimulam até os bilionários de comprarem esse tipo de veículo.

Deixando de lado a curiosidade de que menos de cem brasileiros adquiriram veículos importados de alto luxo no ano passado, eu gostaria de fazer uma saudável provocação. Qual é o tamanho do seu sonho? Quanto ele custa? O que você tem feito para realizá-lo? A vida é curta demais para ficarmos adiando eternamente os nossos sonhos.

Leia também: Novo dólar na fatura do cartão não abre a caixa preta dos bancos

No próximo artigo, pretendo falar como eu planejo a realização dos meus sonhos. Tratarei do “cofrinho da recompensa” ou, se preferir, do “cofrinho do prazer”. No meu caso, a minha grande paixão é viajar, mas poderia ser um carro importado de alto  luxo , por que não? E se fosse, eu tentaria comprá-lo, claro. Haveria algum crime nisso? Convido a todos a assistir ao vídeo a seguir em que eu falo sobre os três cofrinhos das finanças pessoais. 

Comentários Facebook