10 mentiras contadas pelos médicos que podem levar os pacientes à morte

source

Na literatura médica, diversos assuntos controversos costumam vir à tona e, com isso, passam a ser estudados pelos especialistas. No entanto, algumas mentiras divulgadas por anos e anos pela medicina, impulsionadas por diversas indústrias de diversos setores, podem levar pacientes a acreditar em notícias que, além de mentirosas, podem matá-los.

Leia também: Mentirinhas de consultório podem colocar tratamento em risco

médico arrow-options
shutterstock

Em seu livro, o especialista lista 10 mentiras que são contadas pelos médicos e podem matar os pacientes (foto ilustrativa)

Isso é o que acredita o médico Magno Magalhães, pós-graduado em Dermatologia e Medicina do Trabalho e professor da Universidade Estadual do Maranhão. No livro “10 mentiras que o seu médico conta que podem matá-lo”, o autor aborda assuntos que, quando confrontados com embasamento científico, ajudam a esclarecer diversas informações falsas. 

Segundo Magalhães, o objetivo da obra “é estimular a reflexão de todos sobre os hábitos em relação ao consumo dessas substâncias e como mudanças simples no dia a dia podem trazer benefícios importantes à saúde.” Ficou curioso para saber quais são esses mitos que os médicos contam? Confira abaixo!

1. Substituir o açúcar pelos adoçantes para reduzir calorias, peso e evitar diabetes

adoçante arrow-options
Thinkstock/Getty Images

Trocar o açúcar pelo adoçante é realmente necessário?

Magalhães diz que, no meio médico, é propagado que o adoçante vai fazer você diminuir a quantidade de calorias ingeridas, mas não se fala dos malefícios que eles causam. Conforme explica, o aspartame, que é um dos mais consumidos no Brasil, por exemplo, tem alguns efeitos colaterais, como enxaqueca, doenças de pele e cegueira, quando consumido acima do permitido.

2. Limitar o consumo a um ovo por semana para não aumentar o colesterol

ovo arrow-options
shutterstock

O consumo de ovo deve ser, realmente, limitado a um por semana?

Durante décadas, acreditava-se que o ovo era ruim à saúde. No entanto, o médico destaca que é um alimento saudável e nutritivo, que não tem, necessariamente, relação com o colesterol. Ele explica que comprovou-se que o acúmulo de colesterol nas artérias vem, principalmente, de comidas industrializadas e fast-foods. Conclusão: pode consumir ovo diariamente.

3. A soja é um alimento completo e todos podem comê-la à vontade

soja arrow-options
shutterstock

Segundo o especialista, consumir soja pode colocar a saúde em risco

O profissional afirma que a soja é um alimento que tem muitos efeitos nocivos à saúde, como desconforto abdominais, problemas na tireóide, infertilidade e câncer. Além disso, ele diz que, no caso das mulheres, ingerir 100g da proteína por dia pode ter o mesmo efeito de uma pílula anticoncepcional.

4. O flúor é essencial para a boa saúde dos seus dentes e evita cáries

flúor arrow-options
shutterstock

Em seu livro, o médico também fala sobre o flúor

Através de estudos e pesquisas, Magalhães declara que descobriu que o flúor é bem mais nocivo do que imaginava e afirma que tornou-se uma das maiores fraudes científicas dos últimos tempos. Ele diz que o parte do produto permanece no organismo e pode gerar e agravar quadros de osteoporose, cancerígenos, além de deixar os dentes com manchas e quebradiços.

Leia também: O que importa é a fricção nos dentes, diz dentista sobre escovação com cúrcuma

5. Você precisa manter o seu colesterol sob controle para não infartar

infarto arrow-options
shutterstock

Relação entre infarto e colesterol também é apontada

Ao ouvir discursos de cardiologistas, o médico afirma ser consenso entre eles a ideia de manter o colesterol baixo, mas não diz quanto. Para ele, abaixo de 140 é danoso. Ainda reforça que o colesterol é necessário para o cérebro, sendo importante reconhecer seus benefícios, afirmando que ele é essencial.

6. Você tem uma saúde de ferro! As suas taxas laboratoriais estão ótimas

médico arrow-options
shutterstock

Ele também fala da importância da realização de alguns exames

Essa é mais uma mentira que costumamos ouvir, reforça o especialista. Ele destaca a importância de exames que ajudam a detectar a possibilidade de infartos e AVCs, além do  homocisteína. O especialista sugere conversar com o médico sobre outros exames e, assim, evitar problemas que surgem mesmo quando, no check-up convencional tudo aparentar uma suposta “normalidade.”

7. Os cereais são ricos em fibras. Coma-os à vontade todos os dias

cereais arrow-options
shutterstock

Especialista defende que o consumo de cereais não deve ser diário

Magalhães diz que trigo, aveia, cevada e centeio, cereais que contêm glúten, uma substância viscosa, elástica e grudenta, podem causar mal ao corpo. Câncer, osteoporose, infertilidade, epilepsia, distúrbios de aprendizagem, obesidade, diabetes e nascimentos prematuros são alguns dos problemas que podem surgir.

8. O leite é fundamental para a saúde dos seus ossos e previne a osteoporose

leite arrow-options
shutterstock

Na obra, ele ainda fala do leite e a sua relação com a prevenção da osteoporose

O médico diz que os países que mais produzem leite no planeta são os que têm maior índice de osteoporose e fraturas. Segundo ele, o leite não torna os ossos mais fortes, mas é capaz de deixá-los frágeis. “Vários estudos demonstram que não há relação alguma entre o consumo de leite e níveis satisfatórios de cálcio em nosso corpo”, destaca.

9. A margarina é mais saudável do que a manteiga

margarina arrow-options
shutterstock

Você tem dúvidas sobre escolher entre margarina e manteiga?

Segundo o profissional, a margarina é uma versão quase plástica do alimento, que não tem nada de aproveitamento nutricional, além de poder causar danos no fígado, por exemplo. Já a manteiga, por sua vez, pode ajudar na prevenção do câncer de intestino e, se consumida com moderação, é uma ótima escolha para substituir a margarina.

Leia também: Manteiga ou margarina: qual é mais saudável?

10. O óleo de coco faz mal à saúde. Prefira sempre outros óleos vegetais

óleo de coco arrow-options
shutterstock

O óleo de coco já foi visto como vilão, mas está voltando para as cozinhas

Mais uma das mentiras da lista! O óleo de coco já foi visto como vilão, mas está voltando para as cozinhas. Magalhães diz que o produto tem valor nutricional e aplicações no campo terapêutico. O óleo de coco extravirgem tem entre seus benefícios proteger o fígado contra o efeito do álcool e aumentar a imunidade por agir como anti-inflamatório natural.

Fonte: IG SAÚDE
Comentários Facebook