Ação de entrega de marmitas gratuitas no almoço atende pessoas em situação de rua, desempregados e trabalhadores em Cuiabá


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Cerca de 450 marmitas são entregues diariamente na hora do almoço em vários pontos de Cuiabá por equipes da Secretaria de Assistência Social. Na última quinta-feira (29), uma equipe distribuiu 235 marmitas em quatro pontos da capital: Centro-Sul, bairro do Porto, Morro da Luz e Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá. A refeição não mata a fome só da população em situação de rua, mas também do trabalhador que muitas vezes não tem o dinheiro do almoço.

A ação se intensificou com as baixas temperaturas e se transformou em uma força-tarefa de enfrentamento ao frio, determinada pelo prefeito Emanuel Pinheiro e com a organização da primeira-dama, Márcia Pinheiro, equipes de servidores e voluntários percorreram a Capital também pela noite com sopões, entrega de cobertores e sacolão. A iniciativa é da primeira-dama Márcia Pinheiro com seu programa Aquece Cuiabá, executado pela Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência.

A jornada começa no Restaurante Popular às 11h. É lá que são preparadas as 450 marmitas, diariamente, por uma equipe de cozinha composta por 7 pessoas. Parte dos alimentos saem do Mercado do Porto, doações dos permissionários intermediada pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico. Só esta semana, cerca de 500 kg de alimentos foram doados para a força-tarefa de enfrentamento ao frio.

O carro de Ronnaldo Matos Passos, orientador social, servidor responsável pela distribuição das refeições na hora do almoço sai lotado, 235 refeições que serão distribuídas em quatro pontos da cidade: Centro-Sul, bairro do Porto, Morro da Luz e Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá.

Ronnaldo já é conhecido pelo nome nos pontos onde chega, trabalha entregando refeições desde março de 2020. Acompanhado de um motorista, ao estacionar do carro o servidor já desce organizando a fila. Com horário e locais fixos, as pessoas muitas vezes já estão à espera de Ronnaldo e da quentinha.

No cardápio: arroz, feijão, strogonoff de frango, salada e um docinho. Joé Carlos, de 65 anos é pedreiro, mora em Várzea Grande mas realiza serviços em uma casa na região do Centro-Sul de Cuiabá, próximo ao local onde são distribuídas as refeições. Para economizar, ele espera o carro da Assistência Social todos os dias, para almoçar. “Ajuda muito não precisar pagar pelo almoço. Porque os R$ 12 reais que eu economizo é um dinheiro a mais para gastar com as contas da casa”, disse pedreiro.

Na região do Porto não é diferente. Quando o carro estaciona, cerca de 20 pessoas já estão organizadas em fila para receber a marmita das mãos de Ronnaldo. Luiz Nascimento, 40 anos é chapeiro na região da Beira Rio e caminha até praça do Porto para retirar o almoço gratuitamente. “O dinheiro não dá para pagar tudo em casa. Esse almoço aqui ajuda e muito, sou muito grato. Desejo um ótimo dia de trabalho para vocês”, disse Luiz.

Ana Paula Ferreira, de 38 anos também está na fila com João Pedro, de 8 anos. Hoje ela vende salgados na região, um carrinho e um isopor garantem parte da renda da casa. Mas há 18 anos ela fazia da praça sua casa e conta que saiu da situação de rua com ajuda da mãe. “As coisas estão muito caras. Eu chego, vendo meu salgado, o pessoal que compra é geralmente os que trabalham aqui no entorno e até mesmo os moradores de rua quando ganham uma moeda, porque custa R$1,50. Na hora do almoço eu geralmente já vendo tudo, ai pego a marmita para mim e João Pedro e vou para casa”, conta Ana Paula.

O orientador social Ronnaldo diz que viu o número de pessoas a esperar pelas marmitas aumentar nesse período de pandemia. Hoje não são mais apenas pessoas em situação de rua, existem aqueles que estão desempregados, que saem de suas casas, muitas vezes vem de longe, utilizam cartão transporte para idoso que é gratuito para pegar a marmita e voltar para casa”. É o caso de seu Renato, 78 anos que não revelou o sobrenome, mas contou que é aposentado que mora sozinho e sai de casa para buscar o almoço no Morro da Luz.

De acordo com o índice de preços de alimentos das Nações Unidas, publicada pela CNN, os preços globais de alimentos no mundo subiram no mês de maio quase 40% de acordo com comparação anual e de acordo com projeção de Daniel Balaban, representante no Brasil do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WPP) e Diretor de excelência contra a Fome, também publicada pela CNN, o Brasil se aproxima de 9,5% na lista de subalimentação, quando para entrar novamente no Mapa da Fome basta voltar a 5%.

Na entregas de marmitas são realizadas de segunda a sábado, com início às 11h, em pontos já estabelecidos: próximo ao Estádio do Dutrinha, no bairro Centro-Sul, na praça Luiz Albuquerque, no bairro do Porto, no Morro da Luz e na Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá.

Comentários Facebook