Após demissão de Roberto Alvim, Bolsonaro diz repudiar totalitarismo e genocídio

source
Jair Bolsonaro arrow-options
Jornal de Brasília

Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a demissão do secretário especial de Cultura do governo, Roberto Alvim, nesta sexta-feira (17). O desligamento do secretário ocorre após um pronunciamento em que citou trechos do discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda do regime nazista. 

Leia também: Quem foi Goebbels e por que copiá-lo é um risco à democracia

“Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência”, escreveu Bolsonaro em sua conta do Twitter. 

O presidente afirmou ainda que repudia ideologias “totalitárias e genocidas, como o nazismo e o comunismo” e manifestou apoio à comunidade judaica. 




Comentários Facebook