O Rio Cuiabá e a consciência cidadã

Por Marcos Veloso

Integrante das duas maiores bacias hidrográficas do país, o Rio Cuiabá passa por onze cidades de Mato Grosso e representa um dos mais importantes componentes histórico, econômico, social e ambiental da Amazônia Legal.

Historicamente e em tempos mais remotos o nosso rio serviu de meio de transportes e comunicação entre as cidades do Estado, contribuindo para a integração dos povos e fomentando a economia, eis que, através dos navios mercantes que nele trafegavam eram transportados produtos essenciais à vida dos ribeirinhos como alimentos, medicamentos, materiais de construção e outros bens necessários às comunidades ribeirinhas.

Além do mais, ele próprio é até hoje fonte de vida e alimentação para uma substancial parcela da sociedade cuiabana e de Mato Grosso, seja na abundância de espécimes de peixes, seja através da lavoura e agricultura exercitada em suas proximidades e margens, o que, às vezes causam problemas ligados ao prejuízo ao meio ambiente, conforme pontuaremos a seguir.

Quando intitulamos este artigo clamando pela consciência cidadã, a intenção prática é o envolvimento direto de todos os integrantes da sociedade cuiabana nos cuidados para a preservação do Rio Cuiabá, através de realizações pessoais, ações dos poderes públicos, do empresariado, das organizações civis preocupadas com o alto índice de desmatamento provocado nas margens do rio, da poluição produzida pela ação inconsequente do homem, pelo despejo de resíduos de componentes orgânicos e inorgânicos em seu leito, provocando a poluição em todas as suas formas, com a consequente contribuição à destruição das espécies.
Entendemos como nosso dever adquirir uma consciência cidadã no que diz respeito à preservação do Rio Cuiabá, e com ela, ações mantenedoras do habitat natural das espécies nele existentes respeitar as leis ambientais, principalmente aquelas que regulam a utilização de suas margens na criação, plantio e desenvolvimento de lavouras que, em último caso, se não feitas dentro dos parâmetros de respeito à fauna e a flora, como também ao espaço físico previsto em lei, causam prejuízos irrecuperáveis ao meio ambiente, em toda a sua plenitude.
O Brasil é um país de suma importância no contexto ambiental, e, não à toa considerado o pulmão do mundo, ainda mantém uma das maiores extensões de terras virgens, matas ciliares, florestas, rios, cursos d’água, cujas preservações tem sido motivo de políticas públicas voltadas ao meio ambiente, à conservação e preservação das espécies, à regulamentação do solo cultivável, ao combate à destruição de suas florestas, sendo partícipe de organizações e entidades ambientais preocupadas com a própria subsistência humana e das espécies, como já dito.
A educação promovida através das escolas, meios de comunicação de massa, especialistas e entidades voltadas às questões ambientais são de fundamental importância para a consciência cidadã, que deve ter por escopo obedecer normas simples de ajuda no combate a degradação ambiental, como por exemplo, distribuir convenientemente os resíduos líquidos e sólidos em recipientes compatíveis a casa um preservar as margens de nossos rios não jogar qualquer tipo de lixo no curso de água, nas margens, nas imediações do rio. Possuir uma responsabilidade ambiental que resulte em benefícios à sociedade de um modo geral e ao meio ambiente em particular.
Ações simples, mas de resultados que impactam expressivamente no seio da sociedade, como um bem para nós próprios, nossos filhos e netos.
Nossa intenção, como contribuintes ao desenvolvimento racional, ecológico e ambiental não só ao Rio Cuiabá, mas de todas as espécies do Planeta, é fomentar o interesse e as ações de pessoas físicas e demais entidades responsáveis no sentido de promovermos ações práticas, fáticas, que contribuam para a preservação do meio ambiente e das espécies e nos proporcionem saudável bem estar da natureza com o homem e vice versa.
Dessa forma, estaremos proporcionando inestimável contribuição à valorização da vida.
Marcos Veloso é vereador por Cuiabá, presidente municipal do Partido Verde, delegado da Polícia Civil e membro atuante da Igreja Católica
Fonte: Câmara de Cuiabá
Comentários Facebook