Bem-estar na empresa: o uso de óleos essenciais no ambiente corporativo

A pandemia trouxe à tona um assunto a muito tempo ignorado: a ansiedade, o estresse, o esgotamento dos colaboradores no meio corporativo. Com a Covid o tema bem-estar e saúde mental passou a ganhar espaço na mídia e nos bate-papos nas ruas, e o debate de como os funcionários se sentem diante da situação finalmente passou a acontecer.

Recentemente, estava lendo uma reportagem sobre o esgotamento dos empregados e um número me chamou atenção. Segundo a pesquisa do International Stress Management (ISMA), o brasileiro é a segunda força de trabalho considerada a mais estressada do mundo, ou seja, 72% dos trabalhadores brasileiros sofrem de estresse.

Nesse panorama, podemos dizer que os gestores, os líderes, os donos, já sabem qual é o seu público colaborativo, a pergunta que tem que ser feita é: alguma atitude está sendo tomada para melhorar o bem-estar do funcionário? Afinal, o resultado deste cuidado é bom para todos, a produtividade aumenta, o lucro também. Funcionários felizes trabalham melhor!

O que os empregadores ainda estão descobrindo, e eu tenho ajudado nisso, é que medidas simples fazem uma grande diferença, como é o uso da aromaterapia com a finalidade de bem-estar. Posso citar como case uma cooperativa de crédito em Primavera do Leste, que entrou em contato comigo para uma consultoria.

A responsável pela cooperativa me pediu uma avaliação de protocolo para atender a demanda de cada setor. Então ela comprou 10 difusores e colocou um difusor na mesa de cada gerente, daqueles que atendiam o público, que relataram muita ansiedade e estresse. O resultado? O melhor possível, e a equipe sentiu muita diferença, principalmente no bem-estar dos colaboradores. Então empreendedor, veja como é importante uma assessoria para o bem-estar dentro do setor corporativo!

Utilizar difusores com plantas que tirem o excesso de ansiedade das pessoas, ou mesmo com óleos essenciais, é uma ótima alternativa. Eu indico, por exemplo, para minimizar a ansiedade e o estresse, o uso de três óleos. Coloque duas gotinhas de cada óleo no difusor disposto na sua mesa, ou no setor. Um é a lavanda, para acalmar, outro é o balance (mistura de várias plantas) para equilibrar as emoções, e o de tangerina, um cítrico, para estimular a produção de serotonina e dopamina, que vão deixar as pessoas mais felizes. Pessoas felizes produzem mais!

Depois de fazer o protocolo de uso com a conduta de acordo com a necessidade de cada empresa, é essencial realizar um pequeno workshop para os colaboradores explicando no que o uso dos óleos interfere na saúde física e mental, para que realmente os colaboradores entendam, e o dono também, que é algo simples, mas que traz um resultado importante. Quando as pessoas se conscientizam, elas mesmas vão em busca desse uso e a empresa pode até fazer um canto com a sua farmacinha natural.

É importante frisar que o uso terapêutico dos óleos e das plantas ultrapassa a questão olfativa. A consultoria não é apenas para que o ambiente fique cheirando bem, mas sim para que o ambiente promova um espaço de bem-estar. Seria a aromaterapia com o foco na saúde, apesar de sabermos que o olfativo também faz a diferença em contextos distintos.

Eu trabalhei com uma loja de decoração que usa difusores no ambiente com aromas específicos para estimular sensações no cliente. Por exemplo, no quarto um óleo essencial que leve a questão de relaxamento para o sono, na sala algo que traga essa questão da alegria, bem-estar, enfim, dos aromas à venda.

Enfim, ao final, nada melhor que uma gotinha de natureza para cuidar da nossa saúde. O que os seus colaboradores precisam hoje?

Sonia Mazetto – Gestora de Potencial Humano, Terapeuta Integrativa, Fonoaudióloga e Palestrante

Comentários Facebook