Calor? Veja 5 dicas para como evitar que o motor superaqueça


source
arrefecimento
Divulgação

Uso de aditivo de qualidade e na proporção certa é fundamental para evitar superaquecimento do motor

No calor, as chances de ter superaquecimento do motor são maiores. Então, vale ficar atento a alguns detalhes para não ter problemas e não ficar na mão, principalmente se resolver viajar e for pegar uma estrada com a família. A reportagem de iG Carros mostra o que deve ser observado de acordo com as dicas da oficina WTC Express, de Alexandre Pinho.

Vale a pena seguir os conselhos porque, entre outras razões, se o motor vier a superaquecer, existe o risco de danificar itens como junta do cabeçote, o que implica em gastos bem maiores que o valor para prevenção. Com um superaquecimento, pode ser necessário fazer até uma retífica no cabeçote, o que demanda mais tempo e dinheiro.

1- Nunca deixe faltar aditivo no líquido de arrefecimento

Um dos pontos fundamentais para não evitar superaquecimento é sempre utilizar aditivo no sistema de arrefecimento a base de etilenoglicol na proporção de 50% de aditivo de boa qualidade, de preferência o recomendado pelo fabricante. Além disso, vale fazer uma limpeza completa a cada 30 mil quilômetros. Além de aumentar o ponto de ebulição da água, o aditivo também ajuda a evitar corrosão da bomba d´água e outros componentes.

2 – Verifique a válvula termostática

Um dos itens que costumam ser problemáticos no sistema de arrefecimento é a válvula termostática, que pode emperrar, impedindo o líquido de arrefecimento de circular adequadamente. Isso pode acontecer também por falta de aditivo. Portanto, um dos itens que precisam ser verificados.

3 – Veja se a tampa do reservatório está em ordem

Além do aditivo, a pressão do sistema precisa ser mantida para que o ponto de ebolição do líquido de arrefecimento esteja sempre acima dos 100 °C. E se a tampa do reservatório não estiver funcionando bem aumenta o risco de haver superaquecimento. Nos modelos mais recentes fica no vaso de expansão e no antigos no próprio radiador. O ideal é trocá-la a cada 30 mil quilômetros.

4 – Não deixe as mangueiras em mal estado

Se as mangueiras estiverem ressecadas, inchadas ou quabradiças será preciso fazer a troca por outras novas. Também dê uma olhada das abraçadeiras, que predem as mangueiras. Não devem estar enferrugadas ou com qualquer tipo de defeito, inclusive, sem apertar adequadamente todas as mangueiras do sistema de arrefecimento.

5 – Tenha certeza que o eletroventilador funciona bem

Com ajuda de sensores, o eletroventilador é acionado para ajudar a refrigerar o motor. Se por algum motovo deixar de entrar em ação, o líquido de arrefecimento pode subir demais e causar superaquecimento, principalmente se o carro ficar muito tempo no anda e para do trânsito, por exemplo. Quando o carro volta a entrar em movimento, o ar que passa pelo radiador consegue trocar calor.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook