Cintra foi demitido por tentar recriar CPMF, diz Bolsonaro

Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Jair Bolsonaro usou as redes sociais para descartar volta da CPMF na proposta de reforma tributária

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (11) que Marcos Cintra foi demitido da Receita Federal foi tentar recriar um imposto nos moldes da antiga CPMF . Em uma rede social, Bolsonaro escreveu que a demissão ocorreu por “divergências no projeto da reforma tributária”.

Marcos Cintra  promoveu técnico que vai substituí-lo há menos de um mês

O presidente também ressaltou que a recriação da CPMF ou um aumento da carga tributária estão, por determinação sua, descartadas do projeto de reforma tributária que está sendo elaborado pelo governo.

Bolsonaro disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes , demitiu Cintra “a pedido”, mas sem deixar claro se o pedido foi seu ou do próprio Cintra. Uma nota divulgada pelo Ministério da Economia antes da publicação de Bolsonaro diz que o pedido de exoneração partiu do secretário.

Paulo Guedes demite Marcos Cintra, secretário da Receita e ‘pai’ da nova CPMF

O presidente ainda escreveu que a proposta de emenda constitucional (PEC) do governo “só deveria ter sido divulgada após o aval do Presidente da República e do Ministro da Economia”. Na terça-feira, o adjunto de Cintra, Marcelo de Sousa Silva, divulgou detalhes do projeto da reforma em um seminário.

Segundo a nota do Ministério da Economia, o secretário será substituído interinamente por José de Assis Ferraz Neto. Marcelo Silva, considerado o pivô da crise , ficará no cargo, no entanto.

Além da defesa da “nova CPMF”, segundo interlocutores  também pesou contra Cintra o clima tenso com os técnicos da Receita .

Em agosto, ele demitiu o subsecretário-geral do órgão, João Paulo Fachada, após pressões por uma troca de comando no primeiro escalão do Fisco , manifestadas por autoridades dos Três Poderes insatisfeitas com os procedimentos de fiscalização de auditores.

Comentários Facebook