CNN é acusada de adotar tom machista na cobertura de ataque à sede do YouTube

A cobertura sobre o ataque
na sede do YouTube na última terça-feira (3), na cidade de San Bruno, na Califórnia, pela rede CNN
está recebendo inúmeras criticas na web pela abordagem considerada machista.

Leia também: Cadê o talento? Dez canais de famosos para passar longe no YouTube


Rede CNN é acusada de machismo ao noticiar ataque a sede do YouTube
Reprodução CNN

Rede CNN é acusada de machismo ao noticiar ataque a sede do YouTube

A emissora norte-americana não poderia deixar de noticiar o fato envolvendo o YouTube
, mas o que ela não esperava é a forma negativa da repercussão. O telespectador não aceitou a mudança na “linha de raciocínio” da rede ao noticiar que o responsável pelo ocorrido na verdade se tratava de uma mulher.

Leia também: Clipe sobre orgasmo feminino é removido do YouTube e cantora protesta

Quando se fala de ataques e questões terroristas muitas pessoas já pensam na figura masculina como responsável, inclusive a CNN
. Quando a emissora descobriu que o autor do crime era uma mulher, a cobertura da rede se transformou em especulação de “triângulos amorosos” e possíveis relacionamentos para justificar a ação. Causando estranhamento dos espectadores e internautas.

O repórter de crime e justiça do canal, Shimon Prokupecz, foi uma das personalidades que deram o que falar na web. No noticiário “ The Situation Room
” ele não hesitou em especular que a motivação para o tiroteio “talvez fosse um triângulo amoroso”.

As reações sobre a cobertura da CNN na web

Durante a cobertura jornalística da emissora sobre o caso, os telespectadores não perderam tempo de expor as impressões negativas a cerca do modo que a notícia estava sendo noticiada.

“A CNN revela uma teoria do nada que o tiroteio deve ser um triângulo amoroso porque o atirador era uma mulher”, tuitou um internauta indignado.

“Que maneira de especular sem qualquer base que o tiro foi resultado de um triângulo amoroso porque o atirador era uma mulher. Relatórios Finos”, ironizou um segundo.

“Atirador do YouTube é uma mulher e a CNN está imediatamente pulando para uma situação de “triângulo amoroso” – é porque o atirador era uma mulher? Eu não sou feminista nem nada, mas isso me incomoda – cheira a perfil de gênero”, escreveu outro.

Leia também: Sexual e cheia de segurança, Viviane Bordin lança canal para ajudar mulheres

O ataque na sede do YouTube


Responsável pelo ataque a sede do YouTube foi identificada como Nasim Aghdam
Reprodução CNN

Responsável pelo ataque a sede do YouTube foi identificada como Nasim Aghdam

Na tarde da última-terça (3), uma atiradora abriu fogo na sede do YouTube
, San Bruno, na Califórnia. Centenas de funcionários evacuaram o prédio e várias vítimas, sendo três baleadas, foram levadas para hospitais da região. A suspeita, uma mulher identificada como Nasim Aghdam, morreu após ser ferida por arma de fogo; ao que indicam as investigações preliminares, ela tirou a própria vida.

Comentários Facebook