Com instalação de novos equipamentos CBH Alto Teles Pires expande monitoramento das águas da bacia


.

O Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes da Margem Direita do Alto Teles Pires (CBH Alto Teles Pires-MD), realizou em junho, uma nova etapa de ampliação das estações hidrometeorológicas na região da bacia. O trabalho foi feito no Rio Celeste, localizado em Sorriso e Rio Nandico, próximo a Vera com apoio de uma equipe reduzida, observando as recomendações de distanciamento social. A ação proposta pelo CBH surge com a necessidade de levantamento de dados sobre a vazão dos rios que compõem a bacia, colaborando com a gestão consciente dos recursos hídricos da região.

O projeto que começou pelo rio Preto, situado próximo ao município de Sinop (500 km de Cuiabá), foi idealizado por meio de uma articulação entre a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), uma vez que ambas ocupam assentos no CBH.

O apoio financeiro para a execução do projeto se deu por meio de uma parceria do Comitê junto ao Ministério Público Estadual (MPE-MT), representado pela 3ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Sinop, que utilizou os recursos provenientes de transações penais de crimes contra o meio ambiente para fazer com que o projeto saísse do papel.

Além das estações fluviométricas, que mede o nível de água nos rios, o projeto contempla também, estações meteorológicas, que acompanha a relação entre o clima e o manejo de irrigação da região. Todos estes mecanismos de monitoramento se apresentam como um facilitador de dados para a construção de ações mais efetivas na conservação dos recursos hídricos do estado.

Segundo o primeiro secretário do Comitê, Eliel Alves Ferreira, as estações são importantes para o monitoramento da bacia. “A importância das estações está ligada diretamente a medição da quantidade de água disponível em rios que compõem a bacia do Alto Teles Pires. Essa aferição é importante para o correto gerenciamento de recursos hídricos”, afirmou.

O trabalho deve passar por outros rios previamente definidos pelo CBH Alto Teles Pires, como o Ribeirão do Ouro e Ribeirão Sossego, em Sorriso, e Rio Caiabi, em Vera, potencializando a cobertura e levantamento de informações mais precisas e de interesse público.

Rede Hidrometrológica Nacional

Organizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), a Rede Hidrometeorológica Nacional é composta hoje por mais de 4 mil estações, que monitoram o volume de chuvas, o nível e a vazão dos rios, a quantidade de sedimentos, a evaporação e a qualidade das águas.

A ação de monitoramento é uma importante ferramenta de dados, que são constantemente utilizados para a gestão dos recursos hídricos e desenvolvimento de projetos que movimentam a economia e que envolvem os recursos hídricos, como transportes, agricultura, geração de energia hidrelétrica, saneamento e outros.

Atualmente os dados a nível nacional são disponibilizados por duas plataformas, o Hidroweb, banco de dados que reúne todas as informações coletadas pela Rede Hidrometeorológica, e a Telemetria, que apresenta dados hidrológicos em tempo real coletados pelas Plataformas de Coletas de Dados – PCDs, transmitidos pelos satélites brasileiros SCD e CBERS.

Conheça o CBH Alto Teles Pires

Instituído em 2015, o Comitê atua como um fórum de debate e deliberações sobre os assuntos que envolvem a utilização dos recursos hídricos da região do Alto Teles Pires. Sendo um órgão colegiado, conta com membros de instituições públicas, representantes da sociedade civil, além de outras organizações não governamentais. Com uma área de atuação de 7.050,243 Km², o CBH é hoje um dos principais meio de participação em defesa das águas do rio Preto, Rosana, Caiabi, Nandico, Celeste, Lira e outros.

Abrangendo quatro municípios, Sorriso, Nova Ubiratã, Sinop e Vera, o Comitê se junta a outros nove CBH’s atuantes no estado.

Os CBHs são instituídos por Lei e faz parte do Sistema Estadual de Recursos Hídricos do Estado de Mato Grosso, composto pelos Comitês de Bacias Hidrográficas; Conselho Estadual de Recursos Hídricos – CEHIDRO e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA/MT, Órgão Coordenador/Gestor de Recursos Hídricos.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook