Coronavírus: homem morre após se automedicar com cloroquina

source

Um Estadunidense faleceu após se automedicar com fosfato de cloroquina enquanto buscava uma cura para o novo coronavírus. O medicamento foi defendido pelo presidente americano Donald Trump e também pelo presidente brasileiro Jair Bolsonaro como uma alternativa para tratar a doença.

Leia também: “Pode levar a danos irreversíveis”, diz infectologista sobre hidroxicloroquina

cartelas de remédios arrow-options
Pixabay/Pexels

O Estadunidense faleceu após o uso de fosfato de cloroquina. O medicamento foi usado como uma alternativa para combater o novo coronavírus.

Além dele, sua esposa também se automedicou com fosfato de cloroquina contra o novo coronavírus . Ela foi internada e está em estado crítico.

O medicamento é vendido nas farmácias convencionais, mas o sistema hospitalar Banner Health, no estado de Arizona, disse em nota que o casal não aparentava ter se medicado com a versão farmacêutica da cloroquina, mas sim com um aditivo que é usado para limpar aquários.

”Eu tinha fosfato de cloroquina em casa por que eu tinha peixes da raça Koi”, disse a mulher em entrevista para a NBC News .

A mulher, que não teve sua identidade revelada, disse que ficou sabendo que  cloroquina seria uma alternativa de tratamento contra o coronavírus após o presidente Donald Trump defendê-lo em uma coletiva de imprensa.

Leia também: Coronavírus: China testa vacina contra a doença com 108 voluntários

Estudo apontou que medicamento poderia ser uma esperança na luta contra o coronavírus

medicamentos espalhados. arrow-options
Pixabay

Um estudo realizado na França apontava que Cloroquina poderia ser um grande aliado na luta contra o novo coronavírus.

Estudos preliminares com pacientes internados por Covid-19, realizados na França, apontaram que o uso de cloroquina e hidroxicloroquina poderiam ser aliados para diminuir a contagem viral da doença. Porém, o número de pacientes tratados com o coquetel de remédios foi muito baixo para uma afirmação de sua eficiência.

Leia também: Vapes podem estar por trás de casos graves do coronavírus em jovens

Apesar dos estudos, especialistas alertam que o uso do medicamento para o tratamento de infectados pelo novo coronavírus ainda é experimental.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook