Corte de Contas avança na 1ª fase do projeto de implantação da telemedicina no Estado


.

As Secretarias de Tecnologia da Informação (STI) e de Controle Externo (Secex) de Saúde e Meio Ambiente do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) se reuniram, nesta quinta-feira (16), a fim de dar andamento a 1ª fase do projeto de implantação da telemedicina no Estado. A modalidade, utilizada para atendimento pré-clínico, busca aumentar a eficiência no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o secretário executivo da STI, Mateus Dias Marçal, a Secex ajudará a incorporar a parte de monitoramento online, ou seja, de fiscalização e auditoria, no estudo técnico preliminar que será apresentado à Presidência do TCE-MT. Na reunião, Marçal ressaltou ainda os benefícios da plataforma.

“A telemedicina é totalmente baseada em tecnologia aberta do Google, então é uma plataforma barata, que vai trazer redução de custos para Mato Grosso. Além de não ter deslocamento do profissional, que irá atender mais pessoas em menos tempo, com uma efetividade maior, o paciente terá acesso ao atendimento remoto de qualquer lugar, pelo celular, é um serviço que abrange a todos. O sistema integrado trará benefício para todos e o Tribunal de Contas também terá redução de custos, pois poderá efetuar a fiscalização sem necessidade do deslocamento de profissionais”, explicou.

Para o secretário da Secex de Saúde e Meio Ambiente, Marcelo Tanaka, o projeto da telemedicina vai atuar de forma preventiva. “Hoje, o paciente com sintomas leves procura atendimento nas unidades de saúde e precisa esperar numa sala comum a todos. As vezes nem estava com Covid, mas acaba contraindo, a telemedicina vai evitar que isso ocorra”.

Outro fator importante destacado por Tanaka foi em relação aos profissionais de saúde. “Os municípios e o Estado estão com dificuldade de contratar médicos e enfermeiros, muitos estão afastados por serem grupo de risco ou por terem contraído a doença, mas o atendimento remoto favoreceria a redução da necessidade de contratação desses profissionais, pois os médicos poderiam atender até de casa”.

Proposta pelo presidente do Tribunal de Contas, conselheiro Guilherme Antonio Maluf, a telemedicina é um projeto de governo, realizado em parceria com o TCE-MT. A modalidade oferece suporte diagnóstico de forma remota, permitindo a interpretação de exames e a emissão de laudos médicos à distância, por meio de tecnologia da informação e comunicação que garanta integridade, segurança e sigilo das informações. A lei que autoriza o uso da telemedicina enquanto durar a pandemia foi sancionada em abril pelo presidente da República.

Participaram ainda da reunião, realizada por videoconferência, o coordenador do Núcleo de Gestão de Contratos, Convênios e Parcerias, Wolnei Afonso, o supervisor de auditoria da Secex de Saúde e Meio Ambiente, Felipe Favoreto, e Bruno Santos, também da Secex de Saúde e Meio Ambiente.

Fonte: TCE MT

Comentários Facebook