Covid: Prefeitura do Rio prevê vacinar todos acima de 18 anos até agosto; veja


source
Covid: Prefeitura do Rio prevê vacinar todos acima de 18 anos até agosto; veja
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Covid: Prefeitura do Rio prevê vacinar todos acima de 18 anos até agosto; veja

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciou que irá promover a vacinação de toda a população maior de idade até o dia 31 de agosto, adiantando a previsão de imunização de todos os cariocas previsto no público-alvo de vacinação em 1 mês e 21 dias. O anúncio foi feito durante a apresentação do 24° boletim epidemiológico do município. O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também esteve presente e recebeu os agradecimentos de Paes.

“A grande notícia do dia é isso, nós vamos antecipar o processo de vacinação no Rio. Vamos cumprir o processo de imunização de todas as pessoas maiores de idade até o dia 31 de outubro. Nós temos que, de acordo com as informações do Ministério da Saúde, nós teríamos condições de avançar com o nosso calendário que desde o início consideramos conservador”, afirmou Eduardo Paes.

O município do Rio de Janeiro vacinou 50,3% da população do público-alvo. Além da antecipação do calendário, a prefeitura da cidade também incluiu gestantes e puérperas sem comorbidades entre os grupos prioritários foi a primeira cidade brasileira a anunciar a vacinação das pessoas menores de idade contra a covid-19.

“Nós queremos anunciar também na presença do Ministro que somos a primeira cidade brasileira a anunciar a vacinação dos adolescentes entre 17 e 12 anos de idade. Ou seja, não só antecipamos em um mês e 21 dias o calendário da população adulta como também incluímos uma parte da população com a quantidade enorme de vacinas que está chegando, mas ainda no mês de setembro, antes do prazo inicial que nós tínhamos, será feito a imunização de todos os adolescentes entre 12 e 17 anos de idade”, afirmou Paes.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve presente durante a divulgação do boletim e defendeu a harmonia entre os entes federativos. Ele destacou a importância da coordenação entre o governo federal, estadual e municipal para promover uma política pública de saúde que busque combater a pandemia.

“Vivemos um momento excepcional na saúde pública. É uma pandemia, eu tenho mais de 30 anos de formado e nunca enfrentei uma situação como essa, e é um desafio para todos nós. Nós estamos aqui para que essas políticas públicas tenham uma concretude. Se não tivéssemos nosso SUS, onde estaríamos? Esse sistema começa na atenção primária e termina no atendimento especializado. Então o Rio de Janeiro tem que mais uma vez mostrar a sua importância para que sejamos sim um exemplo dessa harmonia da gestão”, disse.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook