Crise financeira reduz desfile do Grupo Especial das Escolas de Samba da Sapucaí

source

A crise financeira que atinge o Rio de Janeiro afetou as escolas de samba do Grupo Especial da Sapucaí. Com o corte de verba da Prefeitura, a  saída foi reduzir o tempo do desfile, o número de carros alegóricos e até o volume de componentes, como está registrado no regulamento para o Carnaval de 2020 , analisado pela TV Globo .

Desfile da Salgueiro na Sapucaí arrow-options
Divulgação

Acadêmicos do Salgueiro desfilando na Sapucaí


Leia também: Carnaval 2020: confira famosas que desfilarão como Rainhas de Bateria

As novas regras elaboradas pela Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) determinam a redução de cinco minutos no tempo mínimo e no tempo máximo de desfile. Em 2020, cada agremiação precisa cruzar a Avenida em uma hora, no mínimo, e 70 minutos, no máximo. O espetáculo do Grupo Especial começará às 21h30.

O novo regulamento prevê a possibilidade de redução no número na tradicional ala das baianas. Se antes as agremiações tinham de apresentar no mínimo 70 mulheres, agora a obrigatoriedade é de levar para a Sapucaí 60 baianas, no mínimo.

Destaque da Imperatriz Leopoldinense desfila na Sapucaí arrow-options
Riotur/divulgação

Destaque da Imperatriz Leopoldinense desfila na Sapucaí



Também houve corte no número mínimo de alegorias que as escolas podem levar para a Sapucaí : de cinco para quatro. O número máximo – seis – foi mantido, assim com a possibilidade de apresentar até três tripés, um elemento alegórico na comissão de frente e o acoplamento de apenas um carro.

Desse modo as escolas vão parar menos para a exibição de comissão de frente, de mestre-sala e porta bandeira e até de bateria para os julgadores.

Leia também: Carnaval 2020: Acadêmicos do Baixo Augusta realiza ensaio neste domingo  

A Liesa diz que essas reduções não vão causar prejuízo para as agremiações. O desfile ficará mais dinâmico, uma vez que haverá diminuição também no número de cabines de jurados. Ou seja, de quatro para três.

Com isso, as escolas vão parar menos para a exibição de comissão de frente, de mestre-sala e porta bandeira e até de bateria para os julgadores. Outra mudança diz respeito às pessoas que desfilam com camiseta à frente ou atrás da escola. Só serão permitidas 30 pessoas com camisetas à frente da escola, antes da comissão de frente. E no final da escola, o número de convidados e simpatizantes será limitado a cem pessoas com camisetas.

Leia também:  Enquete: Anitta, Pabllo ou Ludmilla, de quem é o hit do Carnaval 2020

O novo regulamento prevê ainda uma nova distribuição da verba relativa à transmissão do desfile pela TV. Em vez de divisão igualitária, em 2021 cada agremiação vai receber valor correspondente à classificação ao carnaval de 2020.

Até 2010, as escolas do Grupo Especial tinham tempo mínimo de desfile de 65 minutos e máximo, de 82 minutos. Podiam levar de cinco a oito alegorias para a avenida e tinham de ter obrigatoriamente, no mínimo, cem baianas agrupadas na ala.

O que muda no carnaval de 2020

  • Desfiles de domingo e segunda-feira passam a começar às 21h30
  • Número mínimo de baianas baixa de 70 para 60
  • Número mínimo de alegorias passa de cinco para quatro
  • Número de cabines de jurados reduz de quatro para três
  • Tempo mínimo de desfile passa de 65 minutos para 60 minutos
  • Tempo máximo de desfile passa de 75 minutos para 70 minutos
  • Distribuição de verba da transmissão de TV para 2021 vai depender
  • de colocação no desfile
  • Na frente da escola serão permitidas apenas 30 pessoas com camisetas
  • No fim da escola só poderão desfilar cem pessoas com camisetas

O que será mantido no carnaval de 2020

  • Número máximo de alegorias continua sendo de seis
  • Será permitido somente um carro acoplado
  • Escolas podem ter até três tripés
  • Escolas podem ter um elemento alegórico na comissão de frente

Fonte: IG GENTE
Comentários Facebook