Delegacia de entorpecentes indicia 367 traficantes em seis meses

Sinalizando enfrentamento mais rígido ao tráfico de drogas em Mato Grosso, a Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil (PJC), encerra o semestre com números expressivos em apreensões e prisões, resultantes de ações próprias e/ou conjuntas com outras unidades das forças de Segurança Pública.

Desde janeiro deste ano foram encaminhados à especializada 265 autos de prisão em flagrante delito (APFD) com envolvimento na venda de maconha, cocaína, pasta base e outras drogas ilícitas. Um total de 23 procedimentos de prisão em flagrante foi realizado diretamente pela DRE.

Nos primeiros seis meses do ano foram presas 367 pessoas na baixada cuiabana (300 homens e 67 mulheres), em operações de combate ao tráfico. Deste montante, 58 suspeitos foram autuados diretamente em ações da DRE.

A Delegacia Especializada de Repressão ao Entorpecente integra a Diretoria de Atividades Especiais (DAE) da PJC e possui competência exclusiva nas investigações de tráfico de drogas em toda a região metropolitana e competência concorrente, no interior do estado.

O delegado titular da especializada, Juliano Silva de Carvalho, explica que a demanda investigativa da unidade é crescente e envolve o avanço das investigações e um eficiente trabalho de inteligência policial. “Até junho foram instaurados 331 inquéritos policiais, 320 já relatados. A maioria conclusa com o indiciamento dos suspeitos envolvidos nas ações criminosas”.

Com relação ao fechamento do primeiro semestre, o delegado avalia que os números  sinalizam crescimento, que sobrepuseram desafios ocasionais enfrentados, como, por exemplo, a greve das categorias policiais no mês de junho. “Mesmo com a paralisação, as estatísticas foram positivas graças ao trabalho que teve início no mês de janeiro de forma intensificada, e que se mostrou eficaz até junho”.

Rota de tráfico

Com uma vasta fronteira seca, o estado de Mato Grosso exige complexidade no combate ao tráfico, em razão da proximidade geográfica com países produtores de entorpecentes.

“A DRE, por meio de ações pontuais, atua também em outras frentes de trabalho, principalmente na região de fronteira, onde o tráfico tem intensidade maior. Um exemplo é que Mato Grosso faz divisa com a Bolívia, país produtor de cocaína, e que acaba utilizando o nosso estado como rota de tráfico, como corredor para distribuir o entorpecente a outras regiões do Brasil”, declara o delegado.

Operações

Dentre as diversas operações policiais desenvolvidas no semestre, o delegado Juliano Carvalho avalia como destaques dos últimos seis meses, as atuações técnicas das operações “Rota Tripla” e “Poeira Branca”, deflagradas em abril. Os esforços resultaram no cumprimento de 36 mandados de prisão preventiva contra membros de duas organizações criminosas investigadas por tráfico de drogas interestadual.

 

As quadrilhas tinham núcleos fornecedores de drogas na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia e são suspeitas de movimentar quantidade superior a 200 quilos de cocaína por mês, o equivalente a R$ 1,2 milhão.

Os criminosos atuavam no comércio de entorpecentes nos estados de Mato Grosso, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Pernambuco.

Tráfico e outros crimes

Para o segundo semestre de 2016, o planejamento da DRE seguirá voltado à realização de operações policiais, especialmente na Baixada Cuiabana. “Intensificar o combate ao tráfico significa também diminuir os índices gerais de violência, em crimes como furto, roubo e até homicídio, entre outros”, avalia Carvalho.

Apreensões

Na lista das grandes apreensões realizadas pela DRE, merece destaque um trabalho conjunto, realizado em abril, com a Delegacia de Polícia de Tangará da Serra e Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). A ação resultou na apreensão de 100 kg de maconha, camuflados na carga de um caminhão, que transportava fardos de refrigerante, com destino ao estado de Rondônia.

Outras apreensões de grande porte ocorreram em janeiro, com 70 tabletes de maconha apreendidos em uma residência de Cuiabá, e em março, com apreensão de 20 kg de pasta base de cocaína em um veículo, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Além destas, outras apreensões da especializada ainda serão contabilizadas na estimativa do próximo semestre. É o caso do flagrante de 100 kg de substância análoga à maconha com um casal, em Várzea Grande, no dia 18 de julho.

Na quarta-feira passada (03.08), a DRE realizou a incineração de pouco mais de uma tonelada de entorpecentes apreendidos pela unidade e também drogas encaminhadas por outras unidades policiais (Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Nossa Senhora do Livramento e Araputanga). A queima ocorreu na fornalha de uma empresa, na região do Distrito Industrial, em Cuiabá.

 

Comentários Facebook