Delegado Claudinei apresenta medidas anti-Covid-19 e vota a favor do decreto de calamidade

.
Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Durante a primeira sessão extraordinária virtual realizada na tarde na sexta-feira (27), o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) apresentou seis indicações ao governo do estado num pacote de medidas voltadas ao combate à pandemia da Covid-19,causada pelo novo coronavírus, em Mato Grosso. Em votação remota, o parlamentar foi um dos 18 deputados que votou favorável ao Decreto nº 424 de Calamidade Pública-  enviado pelo governo do estado, com vigência de 90 dias, podendo ser prorrogado, se necessário.

“Estamos dando ao governador Mauro Mendes esse voto de confiança, mas esperamos que não ele não esqueça da saúde pública e bem como o risco de colapso financeiro dos municípios do interior, pois muitos decretos municipais estão fechando 100% o comércio na cidade, como tem acontecido lá em Rondonópolis”, afirmou Delegado Claudinei, que participou da sessão de forma on-line, diretamente de Rondonópolis, por meio de videoconferência.  

O parlamentar lembra que o governo disse que irá comprar 600 respiradores e quer saber quantos irão para o Hospital Regional de Rondonópolis. Afirmou também que a Santa Casa de Rondonópolis precisa de equipamentos. “Espero que o governador e secretário de Estado de Saúde não se esqueçam de Rondonópolis não só na área da saúde, mas também econômica. Nesse momento de enfrentamento, temos que ter bom senso em busca de um meio termo: cuidar da saúde e também da economia. Os idosos, pessoas com sintomas de gripes, doentes crônicos, que se encaixem no grupo de risco, têm que ficar em casa”, destacou o deputado.

INDICAÇÕES COMBATE COVID-19

Preocupado com a situações dos caminhoneiros- que não podem parar durante a pandemia, o parlamentar indicou ao governador, ao presidente da Agência Reguladora de Mato Grosso (Ager-MT) e a todas as concessionárias responsáveis pelas rodovias no estado a necessidade de isenção de cobrança de pedágio de caminhões e veículos de carga enquanto durar o decreto do Governo do Estado. A medida é uma forma de auxiliar os caminhoneiros e empresas de transportes que, neste momento de pandemia, não podem parar de transportar, principalmente mercadorias essenciais a fim de evitar o desabastecimento. “Desde o início da pandemia no Brasil, diversas empresas vêm diminuindo suas taxas e, na medida do possível, tomando serviços gratuitos mais acessíveis, dispondo da ajuda que podem”, justificou.

Ainda pensando na saúde dos caminhoneiros, o Delegado Claudinei apontou a necessidade de fornecer kits de proteção ao coronavírus , a  Covid-19, para os motoristas de caminhões que trafegam nas estradas de Mato Grosso. “É oportuna neste momento a realização de ações preventivas nos postos fiscais ou postos de cobrança de pedágio, bem como a criação de uma rede de apoio aos motoristas com a distribuição de álcool em gel, espaços para higienização nas estradas e informações”, reforçou o parlamentar.

Claudinei também indicou ao governo do estado, com cópias aos secretários de Saúde e de Segurança Pública, a necessidade de disponibilizar kits de proteção e prevenção, aos agentes de segurança pública que estiverem em serviço, por meio dos recursos financeiros economizados pela Assembleia Legislativa que será destinado ao combate do coronavírus. “Os profissionais da área de segurança, assim como os profissionais da saúde, estão na linha de frente no combate a essa pandemia”, argumentou.

Já para os profissionais de saúde, o deputado estadual indicou a necessidade de conceder auxílio transporte complementar, de forma temporária, enquanto durar a pandemia de Covid-19. O deputado também apresentou a indicação para incluir os profissionais de saúde nos grupos de prioridade para o recebimento das vacinas contra a gripe, bem como os que atuam na área de segurança públicas e dos trabalhadores do setor de transporte e logística. Por fim, Claudinei pede a viabilização de um auxílio financeiro para os trabalhadores autônomos, formais e informações e instituições sociais (terceiro setor) no estado de Mato Grosso durante o confinamento exigido pela pandemia.

 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook