Depois de reduzir preço por um dia, Petrobras volta a aumentar valor da gasolina

Brasil Econômico


Política de preços da Petrobras prevê variações nos preços da gasolina e do diesel quase todos os dias
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Política de preços da Petrobras prevê variações nos preços da gasolina e do diesel quase todos os dias

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (3), um novo aumento nos preços da gasolina vendida às distribuidoras. O combustível, que está sendo repassado por R$ 1,7893, passará a ser comercializado por R$ 1,8095 a partir desta sexta-feira (4).

Leia também: Vítimas de racismo no Starbucks serão indenizadas em US$ 1 pelo governo

Além da
gasolina
, o diesel também passará por um aumento no preço de venda às distribuidoras. Hoje vendido a R$ 2,0535, o combustível terá cada litro comercializado, também a partir de sexta-feira, pelo valor de R$ 2,1051.

Antes de ser anunciado o novo ajuste, a gasolina havia sofrido uma queda no valor de comercialização nas refinarias, pois estava sendo vendida a R$ 1,8072 na última terça-feira (1) e foi reduzida ao valor atual justamente nesta quinta-feira. Antes disso, havia passado cinco dias consecutivos sendo vendida ao preço de R$ 1,7977 o litro.

O diesel
também havia registrado queda nos preços antes de passar por um novo aumento. Se na última terça-feira estava sendo vendida a R$ 2,0877 o litro, o valor foi reduzido para R$ 2,0535 também nesta quinta-feira. 

Leia também: Cliente que esperou três horas em fila de banco receberá indenização de R$ 4 mil

Os combustíveis
vendidos para as distribuidoras nas refinarias são do tipo A. Os produtos vendidos ao consumidor final, nas bombas dos postos, são uma composição que mistura esses combustíveis do tipo A com biocombustíveis. Os preços médios divulgados pela Petrobras para as refinarias também não contabilizam a incidência de tributos sobre estes combustíveis.

Levando em consideração que o preço nas refinarias não é o único fator determinante no preço final, o reajuste não necessariamente chegará ao consumidor final. Distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis têm liberdade de preço no mercado de combustíveis.

Segundo a Petrobras, os preços dos combustíveis têm como base o valor de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos, mais os custos que importadores teriam.

Leia também: Feira virtual oferece mais de mil oportunidades de estágio e vagas efetivas

Fora isso, as variações buscam um alinhamento com o mercado internacional. Para atingir o objetivo, a empresa adota mudanças praticamente diárias nas cotações. “A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, diz a estatal sobre o preço da gasolina
e do diesel.

Comentários Facebook