Deputado Claudinei avalia os avanços com a vacinação contra covid-19 em caminhoneiros


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O município de Rondonópolis iniciou, na última terça-feira (13), a imunização dos caminhoneiros contra a covid-19 com a aplicação da vacina Janssen, de dose única. A iniciativa atende a indicação de n.º 1.982/2021 do deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), vice-presidente da Comissão de Infraestrutura Urbana e de Transportes da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que reivindicou à Secretaria de Estado de Saúde (SES) e para a Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM) que viabilizassem a vacinação para a categoria.

“Estamos vendo que alguns municípios já se movimentam para atender os profissionais do transporte que não pararam as suas atividades nessa pandemia. Atravessam o país para atender as necessidades da sociedade. Este é o principal motivo que me levou a reivindicar, em março deste ano, a inclusão dos caminhoneiros na lista de prioridade imediata de vacinação contra a covid-19”, explica o parlamentar.

Além de Rondonópolis, outras prefeituras municipais já tomaram a iniciativa de atender os caminhoneiros, como é o caso de Cuiabá, Sorriso, Tangará da Serra, Barra do Bugres e Sinop. “Por exemplo, em Cuiabá, nem precisa apresentar o comprovante de endereço devido os trabalhadores do transporte estarem sempre se deslocando de uma cidade para outra. Isso é muito importante. Nós dependemos desses profissionais que colocam a vida em risco. Eles movimentam esse país”, declara Claudinei.

Vacinação – O caminhoneiro de Rondonópolis, Lussandro da Silva Bonfim, que atua na profissão há 26 anos, já recebeu o imunizante e se sente tranquilo para continuar os trabalhos nas estradas. “Primeiramente, quero agradecer à Deus e ao deputado Claudinei que vem fazendo um trabalho extraordinário para a nossa classe. Acompanho o trabalho dele, vejo a preocupação dele com a nossa imunização. Mesmo com os índices altos da covid-19, não deixamos de atender as empresas e a sociedade brasileira”, posicionou o motorista.

Ele chegou a relatar o cenário vivido nas estradas durante a pandemia, em que muitos profissionais do transporte estavam sofrendo com a discriminação de outras pessoas por deslocarem de uma cidade para outra, por pensarem que eles estavam infectados com o vírus. “Falam que nós carregamos o Brasil nas costas. Hoje estou em uma cidade, amanhã em outra. Na verdade, desde que surgiu este vírus, fomos muito discriminados. Agora, eu e meus amigos caminhoneiros estamos tranquilos com a vacinação”, salienta Lussandro.

Já o caminhoneiro Claudiney Alves Bossa, que já tomou a vacina, conta que ficou com a sensação de alívio, satisfação e alegria. “A gente mexe com muita gente no dia a dia. O caminhoneiro está pegando em papel, dinheiro, enfim. Vacinei no primeiro dia de vacinação, em Rondonópolis. Na primeira oportunidade, parei o caminhão e tomei a vacina. Foi bastante tranquilo e rápido. Tinha muita gente da categoria lá e vamos continuar nos cuidando”, diz.  

Plano – Conforme o Plano Nacional de Imunização do Governo Federal, os caminhoneiros foram incluídos na lista do grupo de prioridades para o recebimento das vacinas, no mês de janeiro desse ano por serem considerados essenciais para o desenvolvimento do país. De acordo com dados do Ministério da Saúde, foram contabilizados 1,24 milhão de caminhoneiros como potenciais alvos do plano de vacinação, o que eleva ao total de pessoas do grupo prioritário para 77,2 milhões.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook