Deputado Claudinei busca soluções para a saúde pública de Rondonópolis na SES


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) se reuniu com a secretária de Saúde de Mato Grosso (SES) em exercício, Kelluby de Oliveira, na quinta-feira (16), para obter esclarecimentos sobre a situação da  Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis e do Hospital Regional de Rondonópolis. Vários assuntos foram discutidos, como a retomada das cirurgias eletivas e ortopédicas, desativação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) covid-19, liberação dos recursos do antigo Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (Feef) e adesão ao programa do estado por parte do município para fortalecer a prestação de serviço à população.

FEEF

Kelluby realizou chamada telefônica ao secretário-adjunto da SES, Juliano Silva Melo, para verificar os trâmites dos repasses do antigo FEEF que acumula cerca de R$ 77 milhões a serem distribuídos aos hospitais filantrópicos de Mato Grosso. “Está em processo para fazer o pagamento. O que a gente tinha combinado é que regularizaríamos até o final do mês. Vamos publicar a portaria, depois é o processo de efetuar o pagamento”, posicionou.

Claudinei recebeu com satisfação a informação, já que havia apresentado, no início de setembro, Requerimento de n.° 485/2021, em caráter de urgência, às secretarias de Estado de Saúde (SES) e de Fazenda (Sefaz) para ter informações do repasse da verba para atender as instituições filantrópicas.

“Tive uma reunião com informações positivas. Uma boa notícia é que até o dia 30 de setembro, a Santa Casa de Rondonópolis vai receber aproximadamente R$ 9,2 milhões do antigo Feef. Com a nova lei de n.º 11.487/2021, esses valores serão repassados ao Fundo Estadual da Saúde (FES) para depois serem remanejados para esses hospitais”, disse o parlamentar.

UTI

Com a redução de casos de pacientes com a covid-19, a secretária informou que os 30 leitos de UTIs do Hospital Regional de Rondonópolis serão desativados para iniciar o atendimento de cirurgias eletivas e ortopédicas, sendo que a Santa Casa manterá o atendimento de pessoas infectadas na unidade já que disponibiliza 20 leitos já contratualizados junto à gestão estadual.

“Ontem, nós tivemos uma reunião com o governador. O Regional vai retomar as cirurgias ortopédicas que realizava anteriormente, com a mesma capacidade. Com esse retorno vai dar uma melhorada. Hoje, formalizei com a Central de Regulação Interna o bloqueio desses leitos, passo os pacientes da Covid-19 para a Santa Casa. Temos um período de desinfecção, acredito que no período de cinco dias, para retomar as cirurgias da forma que era antes”, declarou Kelluby.

Programa

A secretária informou sobre a importância da adesão da Prefeitura de Rondonópolis ao Programa Mais MT Cirurgias, lançado pelo governo de Mato Grosso, em julho deste ano, com investimentos previstos de R$ 105 milhões, cuja finalidade é o de fortalecer a saúde pública do município. “O Estado vai pagar 100% dos procedimentos, só que precisa que o município faça a adesão. Rondonópolis ainda não fez”, expôs.

O programa vai contribuir para a redução de filas de espera por procedimentos eletivos no Estado, sendo que é previsto a realização de 22,5 mil cirurgias, aproximadamente 70 mil exames de alta complexidade e 90 mil consultas ambulatoriais.

Estrutura

De acordo com a superintendente de Regulação, Dúbia Campos, desde o ano passado, a SES busca estruturar os hospitais regionais com equipamentos e mobiliários para fortalecer as macrorregiões de Mato Grosso. Ela frisa que Rondonópolis ainda não havia implantado, sendo que já é tratado com os 19 municípios atendidos pelo Hospital Regional, por meio do decreto de n.° 670/2020 que dispõe sobre a transparência na Política Estadual de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Estamos nesse trabalho junto com o Regional, implantamos, no dia 1° de setembro, a regulação da região macro de Rondonópolis. A gente estruturou a regulação macro e estamos em um acompanhamento com todos os municípios. Ambulatoriamente, temos isso desde 2012, incialmente. Porém, o hospitalar, estamos fazendo agora, a partir do dia 1° de setembro”, salientou Campos.

Também, marcaram presença na reunião a superintendente de Regulação, Controle e Avaliação, Simone Ramos, e a secretária-adjunta do Complexo Regulador em substituição, Norma Fernandes.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook