Deputado leva bandeira da produção sustentável para a COP 25

Foto: KATIANA PEREIRA

Foto: KATIANA PEREIRA

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC-MT) participa da reunião da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019, a COP 25, realizada em Madrid, na Espanha. O encontro acontece desde o último dia 2 e segue até 13 de dezembro.

O parlamentar representa a Assembleia Legislativa do Estado, uma das metas de mandato do parlamentar é deixar um legado para o incentivo da produção sustentável em Mato Grosso. "É aqui que estão acontecendo as grandes discussões sobre o clima, meio ambiente e produção sustentável. O Brasil é protagonista nesse tema. Mato Grosso tem que buscar esse protagonismo também, já que somos campeões em produção. Sabemos que oque causa o desequilíbrio é a miséria, que leva a ilegalidade. Temos que dar documento, segurança jurídica e incentivo as formas de produção sustentável, com uso da tecnologia. Esse é o futuro", destacou Xuxu Dal Molin, após encontro com o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, que lidera a comitiva brasileira.

Ricardo Salles, em entrevista para El País, disse que a pobreza é o maior inimigo do meio ambiente: “O Brasil é um país que possui mais de 80% da floresta amazônica protegida e a consideramos um tesouro. O aumento do desmatamento começou em 2012. Temos que encontrar a origem, que está entre outras razões, na falta de desenvolvimento econômico sustentável para os mais de 20 milhões de brasileiros que vivem lá. Que tenham uma alternativa e que avaliem então a conservação da Amazônia. Quando o desmatamento diminuir, os pontos de incêndio se reduzirão”, declarou.

A comitiva de Mato Grosso é representada pelo vice-governador Otaviano Piveta, a secretaria de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, o deputado Ulysses Moraes, deputado federal Neri Geller e o presidente da Associação dos Produtores de Algodão de Mato Grosso (Ampa-MT) Paulo Aguiar.

Dal Molin apresentou o balanço das ações da Primeira Base Aérea de Combate a Incêndios Florestais da Amazônia, a primeira do Brasil, localizada em Sorriso, que teve sua implantação coordenada pelo parlamentar. Ele Considera esse trabalho como uma contribuição para o cumprimento do acordo firmado com a Organização Das Nações Unidas. “A Base é de responsabilidade do Corpo de Bombeiros Militar, tem feito um ótimo trabalho”, destacou.

"Essa é a primeira base de combate a incêndios florestais entre os países com partes da floresta Amazônica e seus territórios. A sua instalação em Sorriso só foi possível graças ao esforço de muitos parceiros, inclusive o setor produtivo. Hoje tenho a satisfação de apresentar os resultados e levantar a bandeira que o setor produtivo de Mato Grosso é o melhor parceiro do Meio Ambiente", declarou.

A construção da Base Florestal de Combate a Incêndios contou também com recurso do Fundo Amazônia, recursos do Estado e a iniciativa privada de Sorriso que contribuiu com o mobiliário usado pelos militares. A base tem o objetivo de proteger o ambiente florestal e o rural que sofre com graves perdas econômicas quando atingido pelas chamas.

Proteção da Amazônia Legal

Durante as reuniões realizadas na COP 25, Dal Molin compartilha um informativo, produzido em inglês, com o balanço das atividades da Primeira Base de Combate a Incêndios Florestais. "A segunda Base está em Rondônia. Estamos trabalhando para implementação nos outros sete estados da Amazônia Legal", disse.

Na Amazônia Legal vivem em torno de 23 milhões de pessoas, segundo o censo 2010, distribuídas em 775 municípios, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins (98% da área do estado), Maranhão (79%) e Goiás (0,8%).

Além de conter 20% do bioma cerrado, a região abriga todo o bioma Amazônia, o mais extenso dos biomas brasileiros, que corresponde a 1/3 das florestas tropicais úmidas do planeta, detém a mais elevada biodiversidade, o maior banco genético e 1/5 da disponibilidade mundial de água potável.

Sobre a COP 25

Até sexta-feira, dia 13 de dezembro, a Conferência das Partes das Nações Unidas, a COP 25, , irá discutir com representantes dos países que fazem parte do bloco, planos mais ambiciosos para a continuidade da implementação do Acordo de Paris.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook