Deputado vai a Mato Grosso do Sul conhecer realidade do Cota Zero

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) se deslocou até Mato Grosso do Sul para conhecer a realidade do programa Cota Zero.

O parlamentar integra a comissão especial da Assembleia Legislativa de Mato Grosso que discute o projeto de lei (PL 668/2019), que prevê a proibição do abate e o transporte de peixe nos rios de Mato Grosso pelo período de cinco anos.

A ida ao estado vizinho tem o intuito de obter informações que possam subsidiar a elaboração de um projeto alternativo que concilie interesses da sustentabilidade ambiental com a atividade econômica, sem prejudicar municípios que detêm a pescaria como principal fonte para o comércio.

Em Mato Grosso do Sul, foi reduzida pela metade a quantidade permitida para pesca amadora e esportiva. O Decreto 15.556/2019, de autoria do governador Antônio Azambuja (PSDB), também estipula a cota zero a partir de janeiro de 2020.

Em solo sul-mato-grossense, o deputado Wilson Santos compareceu aos municípios de Anástácio e Aquidauana, ambos com vocação de atividade pesqueira, para dialogar com pescadores da colônia Z-18 a respeito dos efeitos sociais e econômicos do Cota Zero.“Os pescadores reclamaram muito. Estão abandonados e sem perspectiva de melhoria”, disse.

O efeito mais drástico do Cota Zero, porém, foi constatado na comunidade Águas do Miranda, que pertence ao município de Bonito. “Houve uma queda de 60% do movimento econômico. O desemprego aumentou e, por consequência, a crise social. O medo e a insegurança estão espalhados”, destacou o parlamentar.

O deputado Wilson Santos esteve ainda em Corumbá, para uma reunião com dois cientistas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa Pantanal. Na ocasião, foram apresentados estudos técnicos a respeito da bacia hidrográfica do Alto Paraguai, que envolve Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em 80 municípios e 2,5 milhões de habitantes.

As atividades do parlamentar em Mato Grosso do Sul serão encerradas somente nesta terça-feira (17). 

Comentários Facebook