Deputados elegem nova Mesa Diretora

Sessão Plenária (Foto: Angelo Varela/ALMT)

Com 21 votos, o deputado estadual Eduardo Botelho (PSB) foi eleito presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e comandará o segundo biênio da 18ª legislatura. Juntamente com Botelho, foram eleitos mais seis deputados para compor a mesa, Gilmar Fabris (PSD) na vice-presidência, Max Russi (PSB) como 2º vice-presidente, na primeira-secretaria assume o atual presidente Guilherme Maluf (PSDB),  a 2ª secretaria ficará com Ondonir Bortolinni, o Nininho (PSD) , na 3ª secretaria, o deputado Baiano Filho (PSDB) e na 4ª secretaria, o deputado Silvano Amaral (PMDB).

A chapa intitulada “União e Trabalho” foi a única registrada na eleição da mesa diretora que irá comandar a ALMT pelo biênio 20172019. Durante aproximadamente duas horas de sessão, a maioria dos deputados manifestou apoio à candidatura do Eduardo Botelho, em busca de harmonia e consenso dentro do Poder Legislativo e junto aos demais poderes, Executivo e Judiciário de Mato Grosso.

O deputado estadual Guilherme Maluf, que deixa em janeiro de 2017 a presidência e assume a 1ª secretaria, destacou os avanços da Casa de Leis nos últimos dois anos em busca de credibilidade, eficiência e aproximação com o povo mato-grossense. “À frente da atual mesa, tive a honra de iniciar um processo de redução de gastos, transparência e resgate da confiança. A Assembleia passa, desde então, por amplo processo de modernização no que diz respeito à infraestrutura administrativa e consolidação como espaço para o debate democrático”, destacou o presidente Guilherme Maluf.

O presidente eleito, Eduardo Botelho, agradeceu aos deputados pela confiança depositada, disse respeitar a opinião dos três deputados que votaram contrários à sua eleição e destacou que a liberdade proposta pela oposição será respeitada.

“Nunca esta Casa foi tão livre. Todos os projetos de governo, apresentados e aprovados, receberam emendas e passaram por ampla discussão de todos. Digo ao governo que somos parceiros para discutir os projetos que são de interesse do povo, mas também vamos exigir que os deputados sejam ouvidos”, afirmou Eduardo Botelho. A nova Mesa Diretora assume o comando da Assembleia Legislativa em 1º de fevereiro de 2017, em sessão ordinária.

Sessão Plenária (Foto: Angelo Varela/ALMT)

Oposição dividida – O chamado grupo dos sete, composto pelos deputados Zeca Viana (PDT), Janaina Riva (PMDB), Emanuel Pinheiro (PMDB), Coronel Taborelli (PSC), Zé Carlos do Pátio (PMDB), Sebastião Rezende (PSC) e Silvano Mariano (PMDB) não conseguiu montar chapa de oposição e parte deles se rendeu em busca de consenso e união na Casa.

Durante discurso, o deputado Zé Carlos do Pátio agradeceu a atitude dos líderes do grupo, Zeca Viana e Janaina Riva, por “liberarem” os companheiros para que votassem com a chapa de Botelho e em reconhecimento da busca do mesmo por harmonia ao oferecer a 4ª secretaria ao deputado Silvano Amaral. Além de Pátio, Taborelli também manifestou voto a favor da chapa União em Trabalho.

Os deputados Zeca Viana, Emanuel Pinheiro e Janaina Riva, sob o argumento de maior independência do Legislativo em relação ao Executivo, manifestaram voto contrário à chapa. “A Assembleia precisa de mais independência. Por isso, meu voto é contra, mas tem meu respeito”, falou Janaina Riva a Eduardo Botelho, minutos antes da eleição.

Alternância de Poder – Entre os discursos proferidos durante a sessão ordinária realizada nesta quinta-feira (1), a alternância de poder foi sugerida tanto por membro da situação, quando da oposição, e o deputado José Domingos Fraga (PSD) apresentou proposta de emenda à Constituição para proibir reeleição ou alternância nos cargos da presidência e primeira-secretaria para as próximas legislaturas.

A proposta de Fraga, segundo o deputado, visa garantir que todos tenham oportunidade de comandar a Casa. “Todos somos capazes, mas não temos tido a oportunidade de galgar cargos na Mesa. Por isso, sugiro a alteração no artigo 24 da Constituição”. Também se mostraram a favor da reestruturação os deputados Wagner Ramos (PSD), Emanuel Pinheiro (PMDB) e Mauro Savi (PR).

Fonte: AL MT
Comentários Facebook