Deputados vão discutir empréstimo com o governo, hoje (11)

Foto: Ronaldo Mazza

O líder do governo do Estado na Assembleia Legislativa, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), confirmou que haverá, hoje (11), um almoço no Palácio Paiaguás, entre a base do governo e o governador Mauro Mendes (DEM). Entre os assuntos que serão discutidos, está o empréstimo de US$ 250 milhões junto ao Banco Mundial para quitar a dívida do Estado junto ao Bank of Amércia.

A Assembleia Legislativa, de acordo com Dal Bosco, estava preocupada com a situação do caixa do governo, que não conseguiu investir em novos empreendimentos e nem concluir as obras que estão paralisadas. Segundo o parlamentar, o estado não tem  dinheiro suficiente para investimentos e ainda pagar o 13º dos servidor público.

“O governo está pagando salário atrasados. Mas isso não significa que tem o dinheiro. Com o empréstimo, o governo deixa de pagar um financiamento. O governo vai ter um alívio no déficit orçamentário. Agora dá para o governo respirar um pouco. A dívida que seria paga em setembro não será mais preciso”, disse Dal Bosco.

Dal Bosco lembrou que o Congresso Nacional está discutindo a aprovação de emenda, de autoria do senador Wellington Fagundes (PL), que assegura a transferência de recursos para os estados do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX) e do Fundo Social do Pré-Sal.

“Isso pode dar um alívio financeiro no caixa do governo do estado e, com isso, zerar o déficit fiscal e pagar o que resta de dívidas nos últimos três exercícios financeiros”, afirmou o parlamentar.  

O deputado disse ainda que, durante o almoço, será discutido com Mauro Mendes o longo período de seca que o estado vem enfrentando nos últimos 120 dias. “Mato Grosso está vivendo um caos por causa das queimadas por falta de chuva. A seca prolongada tem provocado muitos acidentes em algumas estradas mato-grossenses. Isso preocupa a Assembleia e o Estado, porque somos uma região produtora de grãos”, afirmou o parlamentar.

Hoje, o estado é noticia no mundo todo em função dos mais de 15 mil focos de calor. “O estado depende do agronegócio e, por isso, o mundo está de olho em Mato Grosso. Mas não é nem o pecuarista e nem o agricultor o responsável pelas queimadas. A secretária de Estado de Meio Ambiente foi convocada para falar das queimadas”, explicou o parlamentar.

Questionado sobre a Comissão de Constituição e Justiça e Redação (CCJR) ter aprovado a Proposta de Emenda à Constituição que revogado o “teto de gastos”, de autoria do deputado Lúdio Cabral (PT), Dal Bosco disse que vai defender a derrubada da PEC em Plenário.

“Vou defender para que a base do governo não a aprove. Não podemos pensar que o limite de gastos foi bom para Pedro Taques (PSDB) e muito menos para o atual governo, é bom para o Estado. A proposta foi aprovada porque o custo da máquina pública, nos últimos anos, cresceu 700%, enquanto a inflação foi de 340%”, disse o Dal Bosco.

Outra pauta que será discutida durante e após o almoço de hoje, é sobre as mensagens do governo que estão em tramitação na Assembleia Legislativa e ainda sobre as 21 Propostas de Emendas à Constituição (PEC). “Há preocupação da base governista de algumas PECs serem aprovadas e que podem prejudicar a gestão de governo. Isso também será debatido”, disse Dal Bosco.

   

Fonte: ALMT
Comentários Facebook