Encontro discute atuação de setores de Inteligência no combate à criminalidade

Encontro de chefes de inteligência discute combate à criminalidade – Foto por: Lenine Martins/Sesp-MT

Encontro de chefes de inteligência discute combate à criminalidade

Profissionais que atuam nos setores de Inteligência da Segurança Pública em Mato Grosso se reuniram nesta terça-feira (06.09), em Cuiabá, para debater perspectivas e estratégias de ação conjuntas no combate à criminalidade no Estado.

Promovida pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), sob coordenação da Secretaria Adjunta de Inteligência, a primeira edição do “Encontro de Chefes de Inteligência de Mato Grosso” foi realizada no auditório Ponce de Arruda, no Palácio Paiaguás.

Presente à abertura do evento, o governador Pedro Taques elogiou o trabalho realizado pelas forças de Segurança Pública no setor e destacou seu papel estratégico. “A ideia é que possamos agir não só com a força. Precisamos de força em determinadas situações, mas também de inteligência, colhendo informações para subsidiar as ações de segurança”, disse.

O governador lembrou que a atual gestão promoveu um aumento inédito no orçamento da Secretaria Adjunta de Inteligência. “Recebemos um orçamento de R$ 130 mil e chegamos a R$ 13 milhões”.

Expansão

O setor de inteligência produz conhecimento que serve como base para ações de repressão a organizações criminosas, tráfico de drogas, corrupção, conflito agrário e crimes ambientais, entre outros. Grandes operações não seriam possíveis sem este trabalho.

No evento, o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, reafirmou o papel “primordial” dos profissionais do setor e assegurou que a estrutura continuará em “plena expansão”. “O encontro é para estimular cada vez mais a capacitação na área da inteligência e expandir nossa rede dentro e também fora do Estado”, declarou.

Jarbas ainda ressaltou a importância do evento ao reunir lideranças das unidades de inteligência. “A atividade de inteligência é suporte das atividades finalísticas das forças da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros e Politec”.

O secretário adjunto de Inteligência, Gustavo Garcia, disse que a interiorização das atividades é uma prioridade da atual gestão. “Nós queremos que a ação de inteligência se dê em cada município do Estado. Queremos fazer um acompanhamento sistêmico do crime organizado, tráfico de drogas, crimes cibernéticos, e tudo isso sendo monitorado pelo sistema de inteligência”.

Nova Política

A palestra de abertura do evento teve como convidado o superintendente estadual da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Edgar Ribeiro Dias, que falou sobre a nova Política Nacional de Inteligência, recentemente aprovada.

“Há 18 anos estamos sem uma política de inteligência. Com este documento recém editado, vamos poder avançar na atividade de inteligência, principalmente na organização mais estruturada do sistema”, destacou.

Celebração

Tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso um projeto de Lei para oficializar o dia 6 de setembro como o “Dia do Profissional de Inteligência”. A data marca a edição do decreto nº 9.775-A, que criou a atividade no Brasil, em 1946.

Comentários Facebook