Espetáculo “Cuiabá 300” é sucesso de público

Com entrada gratuita, uma média de 15 mil pessoas passaram pelo ginásio de esportes Verdinho, na grande CPA, para assistir ao espetáculo “Cuiabá 300”, neste final de semana. A Prefeitura de Cuiabá por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, deu apoio institucional para a realização desse projeto de valorização à cultura cuiabana.

A peça conta a história de uma terra de luta e vitória de Cuiabá, fundada em 08 de abril de 1719, pelo bandeirante paulista, Pascoal Moreira Cabral. 

Encenada pela Cia. Cena Onze de Teatro, cerca de 270 pessoas entre atores e equipe técnica estiveram envolvidos com esse projeto que é dividido em 11 cenas, entre elas, a elevação de Cuiabá para a categoria de vila, o surto da varíola e a chegada da energia elétrica. Também fazem parte da peça famosos personagens como Jejé, Antonieta, a 1ª TV da capital e muitos outros momentos épicos da história da capital tricentenária.

O secretário da Pasta, Francisco Vuolo, explicou que a relevância e representatividade do tema, aliados ao padrão de qualidade das peças realizada pelo grupo e ao alcance social foram fatores preponderantes para que o Município fosse parceiro deste projeto.

“A Prefeitura de Cuiabá apoia os eventos que valorizam e divulgam a nossa cultura, seja na música, no teatro, na arte de maneira geral. O ano de 2019 foi um ano com muitas comemorações ao tricentenário e essa é mais dos lindos projetos que preparamos com muito amor para nossa população cuiabana”, afirmou o secretário.

O diretor-geral do espetáculo, Flávio Ferreira, explicou que a participação da Prefeitura foi imprescindível para que a apresentação fosse possível. “É muito importante a participação da Prefeitura, assim como a Lei de Incentivo à Cultura, os patrocinadores e parceiros pudemos contar com um espaço e infraestrutura adequada para o público”, disse.

Flávio contou ainda que a apresentação faz parte do calendário festivo da Prefeitura de Cuiabá em alusão aos 300 anos.

O espetáculo que tem a duração média de 1 hora e 5 minutos, foi escrito pelo historiador João Carlos Vicente Ferreira e teve entre o público selecionado para participar do evento reeducandos do sistema prisional, indígenas da etnia Xavante, detentos do regime semiaberto, do Sócio Educativo, pessoas assistidas pelas Casas Lares e trabalhadores do aterro sanitário.

“É importante lembrar que esse projeto não é de apenas entretenimento, mas também de cunho social, já que temos a participação de pessoas em situação de vulnerabilidade social e de extrema pobreza”, explicou Flávio Ferreira.

Para a estudante de Arquitetura e Urbanismo, Izabelle Fernandes, a oportunidade de contemplar todo o processo histórico de Cuiabá reproduzindo a realidade de séculos atrás foram únicos.

“Ficamos sabendo deste evento e viemos aqui para saber um pouco mais da história, dos detalhes que enriquecem o nosso trabalho. Como somos estudante de arquitetura temos um trabalho muito grande para intervenção do Centro histórico da cidade. Para nós, assistir à peça é uma oportunidade de ter a percepção da cidade contada por historiadores de Cuiabá, o sentimento das pessoas que viviam naquela época”, disse a estudante.

Participaram também do espetáculo a Associação Cultural Flor Ribeirinha e a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso.

Comentários Facebook