Estão disponíveis as agromensais de março/2020

.

Cepea, 08/04/2020 – Neste mês, confira:

AÇÚCAR: O Indicador do Açúcar Cristal CEPEA/ESALQ (estado de São Paulo) acumulou baixa de 6,50% em março, fechando a R$ 75,64/saca de 50 kg no dia 31. Leia mais.

ALGODÃO: Os valores internacionais do algodão foram pressionados de forma expressiva em março. Leia mais.

ARROZ: Durante praticamente todo o mês, os preços do arroz em casca operaram acima dos R$ 49,00/sc – patamar significativamente alto para este período de colheita. Leia mais.

BOI: Em meio a tantas incertezas relacionadas ao operacional da cadeia e ao comportamento da demanda – seja interna ou externa –, para curto e médio prazos, o mercado pecuário esteve instável no correr de março. Leia mais.

CAFÉ: Os preços do café arábica avançaram em março, impulsionados pelas altas dos valores externos da variedade e do dólar, além da maior demanda e da retração vendedora. Leia mais.
 

ETANOL: O cenário de incertezas ao longo do mês – devido ao avanço da pandemia de coronavírus e das consequentes medidas adotadas pelo governo de restrição na mobilidade – diminuiu a demanda por etanol. Leia mais. 

 
FRANGO: Em março, o mercado de frango registrou fortes demandas externa e doméstica por carne. Leia mais.

MILHO: As cotações de milho continuaram subindo em março, devido ao maior interesse de compradores e à forte retração vendedora. Leia mais.
 

OVINOS: As negociações tanto do cordeiro vivo quanto da carcaça estiveram limitadas em março, devido ao avanço da pandemia de covid-19 no Brasil, que gerou fortes incertezas quanto ao andamento da economia mundial. Leia mais.

SOJA: Mesmo com a finalização da colheita de soja em muitas regiões brasileiras, a disputa entre compradores domésticos e externos esteve mais acirrada no mês de março, cenário que elevou com força os preços de soja no País. Leia mais.

 
TRIGO: Os preços do trigo estão em movimento de alta desde outubro do ano passado, influenciados pelo dólar elevado, por dificuldades na importação e, mais recentemente, pela firme demanda interna. Leia mais.

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook