Estudantes da Escola Antônio Epaminondas vivenciam campanha eleitoral

Estudantes da EE Epaminondas lançam partidos – Foto por: Milton Figueiredo

Estudantes da EE Epaminondas lançam partidos

Gestores, professores e estudantes da Escola Estadual Antônio Epaminondas, em Cuiabá, participaram na manhã desta sexta-feira (26.08) do lançamento dos partidos que vão concorrer nas eleições simuladas nas escolas deste ano. A inciativa faz parte do programa Voto Consciente, desenvolvido pela Escola Judiciária Eleitoral, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, Esporte e Lazer (Seduc).

Ao todo, cinco unidades escolares da rede estadual participam do programa. Além da Escola Antônio Epaminondas, outras duas unidades de Cuiabá aderiram ao projeto: Leônidas Antero de Matos e André Luiz da Silva Reis. As demais são de Várzea Grande: Deputado Salim Nadaf e Dunga Rodrigues.

A secretária da Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Janis Eyer Nakahati, explica que a iniciativa propicia aos estudantes a vivência de todas as etapas do processo eleitoral, desde a escolha de representantes partidários, campanhas eleitorais, debates, votação em urnas eletrônicas, até a apuração dos votos. “Além disso, os estudantes participam também de alguns processos da eleição oficial, realizados pelo Tribunal”, acrescenta.

Cada escola organizará os partidos que representarão as seguintes políticas públicas: Partido do Direito à Vida e à Saúde (PDVS); Partido da Cultura, do Esporte e Lazer (PCEL); Partido do Respeito às Diversidades (PRD); Partido da Ética e Cidadania (PEC) e Partido da Educação e do Meio Ambiente (PEMA). Serão cinco alunos para representar cada partido.

Entre as atividades realizadas pelos estudantes estão a participação de sorteio do horário eleitoral, cerimônia de validação de fotos e cerimônia de lacre das urnas. E no dia das eleições municipais deste ano, conhecerão os procedimentos das votações paralelas, visitarão os locais de votação e apuração e totalização dos votos. “Sabemos que os jovens representarão o futuro da nossa sociedade. São eles que podem modificar a realidade que vivemos hoje. Precisamos suplantar a ideia de que o jovem é objeto político. Temos que mostrá-los como sujeito capaz de mediar, negociar e participar de todo o processo eleitoral”, frisa.

Propostas

O estudante Luís Henrique Santiago Amorim Gonçalves, 15 anos, do 1º ano do Ensino Médio Integral, diz que o projeto ajudará os alunos a conhecer um pouco mais sobre cidadania, ética e a importância da política para a escola. “O projeto contribui para que tenhamos o jovem cada vez mais crítico. Através dele poderemos repercutir na nossa família e na comunidade, pois precisamos de cidadãos críticos e que exerçam a cidadania de forma correta e seremos multiplicadores dessas ações”, garante.

Inaer Magalhães, 17 anos, aluna do 2º ano do Ensino Médio Integral, concorda. “O jovem aprende a apoiar o próximo, entender e respeitar o ser humano independente de seu credo, sua raça, sua orientação sexual, sua classe social, pois vivemos em um mundo com pessoas diferentes, mas o respeito é a base de tudo”, aponta a garota, assegurando que o projeto ensina sobre senso democrático, além de proporcionar o conhecimento sobre a vida de uma forma geral e respeito ao próximo.

Sobre as propostas dos partidos para a escola, a jovem diz que independente de quem vencer, os alunos já colocam em prática a cidadania. “Nosso partido iniciou projetos para trazer palestras sobre adoção, casamento com pessoas do mesmo sexo, peças teatrais, brincadeiras, entre outros”.

O diretor da escola, Eber José Correa, ressalta que o projeto sensibiliza o aluno sobre a importância do voto e do papel do cidadão em um cenário atual onde se vê muita corrupção.

Para ele é importante a tarefa de escolher corretamente os candidatos e propostas, que possam efetivamente contribuir para a melhoria da realidade da comunidade, da cidade, e para isso a conscientização deve começar com as crianças e adolescentes. “No futuro esse jovem poderá se tonar um político e para que ele faça uma política de ação que contemplem as melhorias necessárias, que beneficiem sua cidade, seu bairro, sua comunidade, a orientação e formação deve ocorrer o quanto antes”, avalia, o gestor, destacando que é na escola que está a base do conhecimento que serão propagados para outras pessoas.

Programa Voto Consciente

Criado em 2011, o programa Voto Consciente foi desenvolvido pela Escola Judiciária Eleitoral em parceira com a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso.

Ao longo dos anos, tem despertado nos estudantes de escolas públicas a consciência cívica, os princípios éticos e a estimulação da participação política consciente, livre e democrática.

Comentários Facebook