Faissal indica implantação de Hospital Regional em Primavera do Leste


Foto: JLSiqueira / Secretaria de Comunicação Social

O deputado estadual Faissal Calil (PV) apresentou Indicação de nº 3939/2021 encaminhada ao governo do estado, solicitando a realização de um estudo sobre a viabilidade de implantação de um Hospital Regional em Primavera do Leste. A proposta do parlamentar atende um pedido do vereador Renato Cozanelli Junior.

Faissal apresentou a matéria na sessão plenária da última quarta-feira (9), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), afirmando em sua justificativa que o município tem atuado de forma firme e incansável para atender a população local e que a implantação de um hospital regional na cidade é de suma importância para a melhoria da saúde em Primavera do Leste.

“Vivemos um momento delicado em nosso estado, com a pandemia de Covid-19. Além disso, temos uma série de atendimentos relativos a outras enfermidades que precisam ser feitos e foram seriamente afetados. Primavera do Leste é um município importantíssimo para Mato Grosso e sua população precisa muito de uma unidade de saúde de grande porte”, afirmou.

O deputado destacou, como exemplo, o grande número de infectados pela Covid-19 no município. Dos 61 mil habitantes de Primavera do Leste,  11 mil já testaram positivo para a doença. Faissal destacou ainda que o hospital regional ficaria localizado próximo a cidades menores, proporcionando mais agilidade no atendimento para moradores de lugares como Poxoréu, Campo Verde, Santo Antônio do Leste, Paranatinga, Nova Brasilândia, Planalto da Serra, Dom Aquino, entre outros.

“A posição geográfica da cidade permite atendimento à região toda, o que demonstra carência e necessidade de melhorias no atendimento à saúde. Quanto mais hospitais regionais tivermos em Mato Grosso, melhor atenderemos nossos cidadãos e menos filas teremos. Essas unidades cumprem, além de um importante papel social na prevenção e tratamento de doenças, uma função importantíssima, que é a de desafogar os hospitais localizados na capital, onde tradicionalmente são enviados em casos mais graves”, explicou.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook