Geração de emprego e renda é a principal bandeira de Alan Top Gás

Empresário há mais de vinte anos Alan da Top Gás (PV), candidato a prefeito por Várzea Grande, tem como principal bandeira de trabalho o desenvolvimento e a geração de emprego e rendas na cidade. A ausência de indústrias e a falta de opção de trabalho para o cidadão várzea-grandense têm sido uma das preocupações de Alan. Em visitas aos comerciantes da região do Cristo Rei, Alan da Top Gás ouviu as principais queixas e apresentou suas propostas no segmento.

A maior reclamação dos comerciantes é que lojas estão vazias e a expectativa no crescimento nas vendas não é animadora. Alan da Top Gás compartilhou um pouco da sua trajetória empresarial e reforçou que sua historia com Várzea Grande é a história de tantas outras pessoas vieram para a cidade. “Penso que este é o momento de eu dar a minha contribuição, nossa cidade não está bem, então este é o momento que ela mais precisa da gente. Acreditem, temos grandes projetos estratégicos para transformar esta realidade, mas só um empresário que lutou e cresceu usando suas mãos como ferramentas de trabalho e renda poderá fazer isso, sei como fazer”, afirmou.

Com propostas concretas e sem projetos mirabolantes, o candidato vem expondo as suas metas para Várzea Grande através do contato corpo a corpo com o cidadão. “Estou conversando com a população e principalmente ouvindo as reivindicações da sociedade, pois é ela que realmente sente onde as prioridades precisam ser aplicadas. Vivemos momentos de crise que, além de política, é econômica, por isso vamos buscar soluções para colocar Várzea Grande novamente nos trilhos do desenvolvimento e assim voltar a ser a Cidade Industrial”, enfatizou Alan.

Geração de emprego e renda

Uma das propostas de Alan da Top Gás para restabelecer o titulo de cidade industrial é desenvolver políticas para incentivar e incrementar o comércio local já existente. Além de atrair empresas e indústrias para Várzea Grande, com incentivos e condições competitivas mais adequadas.

“Os produtos do agronegócio passam por aqui, a riqueza de Mato Grosso entra pelo aeroporto, ou em rodas de caminhões no Trevo do Lagarto, e nada fica aqui. Em minha gestão pretendo criar condições para que possamos ser um município prestador de serviços e catalizador deste tráfico de carretas, bem como dos negócios proporcionados pelo comercio de insumos e venda de grãos, somos estrategicamente o centro do tráfico do agronegócio e isso é dinheiro para o município, é emprego para o povo, não podemos ficar olhando”, afirmou Alan.

Comentários Facebook