Indea realiza teste de sorologia em suínos

José Medeiros / Gcom-MT

Em cumprimento às normas do Programa Nacional de Sanidade Suína do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) inicia, nesta quarta-feira (10.08), às 8h, na sede do órgão, o levantamento sorológico sobre a Peste Suína Clássica (PSC). A finalidade é promover o monitoramento da doença no que se refere à presença de circulação do vírus da PSC.

Para reforçar a ação, o Indea fará o treinamento de 74 médicos veterinários distribuídos nas 13 unidades regionais de supervisão e a entrega do material destinado à coleta sorológica. Todo o material laboratorial para a realização das coletas foi adquirido mediante parceria técnica com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

Serão 320 propriedades fiscalizadas que possuem suínos com a finalidade de subsistência, em 107 municípios estaduais. Estima-se uma média de 1.800 amostras para encaminhamento e análise no Laboratório Oficial do Mapa. “Com o reconhecimento internacional da Organização Mundial de Saúde Animal de que somos uma região livre da Peste Suína Clássica, precisamos manter o nosso status e ações como essa reforçam os nossos projetos e nos possibilita manter um alto padrão de qualidade e sanidade do nosso rebanho”, explica o presidente do Indea-MT, Guilherme Nolasco.

O procedimento ocorre a cada dois anos e se baseia na coleta sanguínea dos suínos, centrifugação do sangue e posterior encaminhamento do soro para o Laboratório Oficial do Ministério. “O exame avalia se existe a circulação do vírus para peste suína clássica na propriedade e nos suínos ali presentes, bem como, possibilita avaliar a origem da contaminação”, explica o médico veterinário da Acrismat, Igor Queiroz.

A diretora técnica do Indea, Daniella Bueno, explica ainda que o Inquérito Soro-Epidemiológico para PSC determinado pelo Mapa é realizado em suínos de subsistência, popularmente conhecidos como ?suínos de fundo de quintal?, visto que os que são comercializados de granjas credenciadas passam por constantes testes para validar a qualidade da carne.

Atualmente a suinocultura em Mato Grosso gera 3.505 empregos diretos e 10.515 indiretos. São 416 granjas comerciais espalhadas em 33.678 propriedades cadastradas no estado. Mato Grosso possui um plantel de 1,5 milhão de cabeças de suínos, dos quais 138 mil são matrizes.

Comentários Facebook