Justiça norte-americana não acusará Cristiano Ronaldo por estupro

Cristiano Ronaldo arrow-options
Reprodução / Getty Images

Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo não será acusado criminalmente pela procuradoria do condado de Clark, no estado de Nevada, nos EUA, no caso do suposto estupro contra a americana Katrhyn Mayorga. Um comunicado feito pela procuradoria nesta segunda-feira (22) confirma a decisão.

Leia mais: Polícia perde provas de ex-modelo contra Cristiano Ronaldo, diz revista

“Com base na análise da informação atualmente disponível, as acusações contra Cristiano Ronaldo não podem ser provadas para além de dúvida razoável. Portanto, não será apresentada acusação”, diz o documento da procuradoria de Clark.

O comunicado também destaca que “provas em vídeo que mostravam a interação entre a vítima e o agressor, antes e depois do alegado crime, se perderam”.

Além disso, o documento também faz referência ao fato de Mayorga ter se recusado a identificar, em 2009 (ano do suposto estupro ), o agressor ou o lugar em que teria havido o crime: “Sem saber a identidade do agressor ou o local do crime, os detetives não puderam procurar provas forenses vitais”.

Leia mais: Técnico de Portugal defende CR7 em caso de estupro: “Acredito no que ele diz”

O caso

O suposto estupro teria acontecido no hotel Palms , na cidade de Las Vegas , em 12 de junho de 2009. No ano passado, Mayorga  entrou com processo contra Cristiano Ronaldo na Justiça do Condado de Clark. Também em 2018, a revista alemã “Der Spiegel” publicou uma entrevista com a suposta vítima, na qual ela argumentava que teria ficado em silêncio sobre o caso em função de um documento que teria assinado, prometendo não divulgar a história.

No processo, Mayorga conta que estava no local do suposto crime com Cristiano Ronaldo e outras amigas. Em dado momento, quando a americana trocava de roupa para entrar em uma jacuzzi, Cristiano Ronaldo a teria atacado e a estuprado.

Comentários Facebook