MERCADO DE TRABALHO/CEPEA: Por ora, número de ocupados na agropecuária frente à covid-19 se normaliza


Clique aqui e baixe o release completo em word.

Clique aqui e confira o relatório completo.

 

Cepea, 30/11/2020 – Pelo menos por ora, o impacto da covid-19 sobre o número de pessoas ocupadas na agropecuária passou. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do IBGE, mostram que, no trimestre móvel encerrado em setembro (julho-agosto-setembro), 8,280 milhões de pessoas estavam ocupadas na agropecuária, sendo apenas 0,3% (ou 28 mil pessoas) abaixo do esperado para esse período, conforme modelo criado pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, a tendência de redução do número observada desde o trimestre móvel encerrado em março já havia sido interrompida em julho e, desde a incorporação de informações de agosto, tem sido observada tendência de leve recuperação.

 

Assim, a queda no número de ocupados no trimestre móvel encerrado em setembro frente ao mesmo período de 2019 diminuiu de intensidade, sendo de apenas 2,7%. Vale lembrar que a taxa de queda chegou a ser de significativos 7,8%, observada na comparação entre abril-maio-junho de 2019 e de 2020.

 

COVID-19 – Em relatórios anteriores, as análises do Cepea indicaram que as quedas da população ocupada na agropecuária relacionadas à pandemia surgiram já em março, se acentuaram ao longo dos meses, chegando a seu ápice no trimestre móvel encerrado em maio, e se estabilizaram no trimestre encerrado em junho. Em julho, foi registrada a primeira e ainda leve melhora na situação, ao passo que no último relatório, que focava o trimestre encerrado em agosto, o modelo do Cepea apontou que o número de ocupados na agropecuária pôde ser considerado dentro da normalidade – indicando que o impacto da covid-19 poderia estar se dissipando.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações sobre o mercado de trabalho do agronegócio aqui e por meio da Comunicação Cepea, com o prof. Geraldo Barros e com a pesquisadora Nicole Rennó: [email protected]

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook