Mobile na frente, digital primeiro

Por Maria Augusta Ribeiro

Se você ainda utiliza o computador para navegar na internet, saiba que é um dos poucos dentre 3 bilhões de usuários conectados à rede. E se você quer vender mais, precisa estar disponível em versão mobile. Saiba como:

O formato amigável, as telas menores dos smartphone são mais atrativas, mais dinâmicas e de fácil acesso. E empresas, profissionais, e qualquer coisa que esteja disponível nesse formato estará na frente em busca de novos clientes, mercados mais engajados, e mais visível ao público alvo.

Chega a ser redundante pensar que todo site, e-commerce e rede social deve estar adequado às telas de nossos telefones, certo? Mas nem todos prestam atenção, e o que antes era um detalhe, hoje tem impacto gigantesco.

De pronto estabeleça sua singularidade, antes de estar online. E atenção! “Entrega gratuita”, “25 anos no mercado” ou “equipe treinada” não são diferenciais na internet. E, para falar a verdade, isso não terá valor algum e seu site estará vagando num limbo de milhões de coisas depositadas todos os dias na web.

Antes de estabelecer critérios mercadológicos, é imprescindível criar resignação de compra e gerar percepção de valor ao que oferece. E como é que fazemos isso em telas cada vez menores? Seja simples, direto e eficiente.

Use tecnologia para oferecer soluções, utilidade e gere valor, ainda que o produto oferecido seja de custo elevado.

Se for na produção de conteúdo, lembre-se que, na internet, aquela história de que conteúdo é rei, não é bem assim. Crie pautas editoriais, utilize hashtags e ofereça temáticas que reflitam valores.

Entenda que o smartphone é como qualquer outro equipamento hoje em dia, eles estão conectados 24horas. Da máquina de lavar ao seu telefone, tudo é onipresente, e faz parte de uma tecnologia que não desliga nunca.

Do Oiapoque ao Chuí, todo mundo está conectado, e criar formatos atrativos aos olhos em versões menores com certeza estará na frente, não somente porque utilizou a tecnologia a seu favor, mas porque foi inovador o suficiente para entender que o mundo acontece através das telas dos nossos smartphones.

Comentários Facebook